Zé Roberto tem lugar cativo na Seleção

Parreira mexe, mexe, mexe e não tira Zé Roberto do time. O técnico é fã do jogador do Bayern de Munique, que faz sucesso na Alemanha já há sete anos. O curinga - Zé pode jogar na lateral, como volante ou meia - é, no atual grupo da Seleção, o quarto jogador com mais partidas pelo Brasil: 63, com 102 convocações. Só Cafu, Roberto Carlos e Ronaldo jogaram mais pela Seleção do que Zé Roberto. "Fico sempre muito feliz em poder representar o Brasil. Esses números significam muito pra mim", diz ele.A confiança de Parreira em Zé Roberto é tão grande que o jogador diz que, em nenhum momento, sentiu seu lugar ameaçado na equipe, mesmo com tanta especulação em torno da possível entrada de Robinho. O fato de ser o único canhoto do meio-de-campo titular já era um bom indício de que ele não sairia do time. "Talvez por causa disso, o Parreira tenha apostado em mim mais uma vez".Zé Roberto diz também que, para ele, tanto faz se atuará com um ou dois volantes ao seu lado. No primeiro caso, ele teria de ficar mais preso à função de marcação. No segundo, teria mais liberdade para chegar ao ataque. "Já atuei nas duas funções e tenho facilidade em ambas". Ele afirma que não se sentirá "sacrificado" caso Parreira escale a equipe com Kaká, Robinho e os dois Ronaldos. "Posso ficar mais (na defesa), sem problemas. Com tanto tempo jogando na Alemanha, aprendi muito em termos de marcação. Por isso, posso jogar bem como volante mais recuado".Apesar de tanto sucesso na Alemanha, Zé Roberto anda preocupado. Seu contrato com o Bayern de Munique, líder da Bundesliga e único clube alemão nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa, termina em junho. A primeira conversa para renovação desagradou a Zé Roberto. "Eles me ofereceram redução de 30% do salário. Não posso aceitar isso". O jogador espera por uma nova conversa. "Acho que, aos poucos, a gente vai se acertando".Zé Roberto acrescenta que gostaria de permanecer no Bayern, mas não descarta uma mudança de clube e de país. "Se for o caso, eu saio e vou procurar meu espaço. E quem vive na Alemanha é capaz de viver em qualquer lugar", diz o jogador, referindo-se às dificuldades em se adaptar ao clima, à língua e à cultura da Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.