Zépiqueno holandês chama atenção na base do Feyenoord e vira ‘xodó’ de brasileiros nas redes sociais

Zépiqueno holandês chama atenção na base do Feyenoord e vira ‘xodó’ de brasileiros nas redes sociais

Jovem de 15 anos rouba os holofotes no Torneio Montaigu deste ano, realizado na França, pelo nome alusivo ao personagem do filme “Cidade de Deus”, do diretor Fernando Meirelles

Lucas Couto, especial para o Estadão

10 de maio de 2022 | 15h00

No mundo do futebol, olheiros, treinadores e torcedores sempre ficam atentos às categorias de base, seus torneios, e principalmente suas revelações. Neste ano, um atacante holandês chamou atenção durante o tradicional  Torneio Montaigu, que acontece desde 1976. Nesta edição de 2022, realizada na França, a seleção brasileira foi campeã, após superar a Argentina na decisão.

Zépiqueno Redmond, atacante de 15 anos, que defende a base do Feyenoord, roubou parte dos holofotes durante a competição, que teve Endrick, joia da base do Palmeiras, como artilheiro e destaque. Na campanha do título, o Brasil chegou a enfrentar a equipe de seleção holandesa, no empate por 2 a 2, na fase de grupos. Após chamar atenção pelo nome, o atacante confirmou que foi batizado em homenagem ao personagem do filme "Cidade de Deus", do diretor Fernando Meirelles, lançado em 2002, baseado no livro de Paulo Lins

"O time do Brasil tem jogadores muito bons. Foi uma grande experiência jogar contra os jogadores da seleção brasileira. É verdade (sobre o nome ser uma homenagem ao filme brasileiro). Meus pais colocaram o nome de Zépiqueno por causa dele. O personagem é um pouco mau, mas gosto do filme", afirmou o jovem atacante em entrevista à CBF TV.

Nascido no Suriname e naturalizado holandês, Zépiqueno já é presença constante nas listas de convocação da seleção holandesa sub-16. Centroavante de origem, o jovem jogador surgiu em 2017, no ADO Den Haag, da Holanda. Dois anos depois, se transferiu para o tradicional Feyenoord, dono de 15 Campeonatos Holandeses e uma Liga dos Campeões (1969/1970).

O Zé Pequeno brasileiro foi interpretado por Leandro Firmino nas telonas. O longa, que chegou no exterior um ano depois de seu lançamento nacional, concorreu ao Oscar de 2004. Foi  indicado nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição e Melhor Fotografia. Apesar de não ter faturado nenhuma estatueta, venceu diversos prêmios nacionais e internacionais de cinema.

SENSAÇÃO ENTRE BRASILEIROS 

Como grande parte dos jovens de sua faixa etária, o Zépiqueno holandês usa as redes sociais em seu dia a dia. O garoto, porém, é mais discreto. No Instagram, onde tem mais de 9 mil seguidores, possui apenas seis postagens. Diferentemente de muitos jogadores de sua idade, que abarrotam seus perfis com desafios e dancinhas, o atacante restringe suas postagens ao futebol, com fotos defendendo o clube e da seleção holandesa de base.

Apesar da descrição, Zépiqueno se tornou um xodó dos brasileiros por conta do nome e não é incomum notar comentários em português nas fotos do jogador. Os  mais comuns, sem dúvidas, são referências ou comentários ligados ao filme. Muitos dos bordões do personagem são replicados nas áreas de interação, inclusive de fotos antigas do atleta. Na tentativa de chamar a atenção do jogador, internautas chegam a transcrever os recados para o inglês e até mesmo para a língua materna do jovem, o holandês. Zépiqueno ainda não conhece o Brasil.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.