Zetti é novo técnico do Guarani

Uma semana depois de demitir Joel Santana, a diretoria do Guarani conseguiu contratar um novo treinador. É Zetti, que comandou o Paulista na campanha vitoriosa do Campeonato Paulista quando chegou à final e ao vice-campeonato. O acordo foi fechado no sábado pela manhã e o técnico se apresenta na segunda-feira no Estádio Brinco de Ouro. Junto com ele vai se apresentar o fisicultor Fernando Moreno e, provavelmente, o treinador de goleiros Armando Bracalli, ambos do clube de Jundiaí. A diretoria do Guarani evitou anunciar o acordo porque o time será dirigido interinamente, neste domingo, diante do Corinthians, pelo fisicultor Lino Fachini Júnior, que em seguida será demitido. Como não conseguiu seduzir técnicos de primeira linha do futebol brasileiro, como Lori Sandri, do Internacional-RS, Geninho, do Vasco, Tite, ex-São Caetano, e Mário Sérgio, ex-Atlético-PR, a diretoria buscou nomes emergentes na Série B. Zetti era um antigo sonho do presidente José Luiz Lourencetti, que não poupou esforços nem dinheiro para contratá-lo por R$ 100 mil de luvas e R$ 50 mil mensais. Zetti trabalhou 14 meses no Paulista. E antes de ser vice-campeão estadual da temporada ganhava R$ 8 mil. Em seguida ganhou um reajuste, atingindo R$ 16 mil e já tinha a promessa de receber R$ 27 mil após o fechamento da parceria do clube com o PSV da Holanda, que está praticamente definido. O novo técnico do Guarani ainda tentou esconder em Jundiaí sobre sua decisão. É que à tarde o Paulista atuaria contra o Mogi, pela Série B, tendo vencido por 3 a 1. A pressão da imprensa local foi muito grande e após o jogo o técnico admitiu que conversaria com os dirigentes para explicar a situação. Foi o que aconteceu à noite, com a reunião terminando por volta das 21h30. Histórico - Com 39 anos, Zetti foi goleiro de vários times do Brasil, conquistando o bicampeonato mundial interclubes pelo São Paulo e sagrando-se tetracampeão do mundo em 1994, sendo o reserva de Tafarrel. Após encerrar a carreira de jogador, em 2001, no Sport, assumiu as categorias de base do São Paulo e após uma breve experiência como comentarista de televisão (SBT), passou a trabalhar no Paulista. O preparador físico Fernando Moreno já havia sido procurado pelo Guarani há cerca de um mês. Na época, Joel Santana ainda era o técnico e os dirigentes não andavam satisfeitos com o rendimento físico do time. José Fernando Francisco, o Fernando Moreno, é reconhecidamente um dos principais fisicultores do Brasil e já trabalhou nas divisões de base do São Paulo, Ponte Preta, Primavera, entre outros. Decepção - Festa no Brinco de Ouro, tristeza no Estádio Jaime Cintra. A direção do Paulista não esperava ser "abandonada" pelo técnico depois dos esforços para mantê-lo. Segundo o presidente Eduardo Palhares, havia um acordo verbal no qual Zetti apenas deixaria o clube por uma proposta de um grande time de São Paulo - Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo - ou então para o Cruzeiro. Tanto que ele já tinha rejeitado propostas do Sport e do Atlético-PR, além de sondagens de Fortaleza e Figueirense. "Nós fizemos um remajenamento no contrato dele e demos tudo que ele pediu, mas combinamos que ele seria liberado somente para estes cinco clubes. Estou decepcionado, inclusive com a direção do Guarani." Mas o time está em boa situação na Série B. Após o jogo de sábado ocupava a vice-liderança com oito pontos. O auxiliar-técnico, Marcos Biasoto, que também foi convidado por Zetti para trabalhar em Campinas, optou em ficar no Paulista e assumirá interinamente o time. Mas já existem dois nomes na lista da diretoria. Um deles é Pintado, técnico estreante e que dirige a Internacional de Limeira no Campeonato Paulista da Série A2. Outro é o ex-meia Vágner Mancini, disposto a abraçar a aposentadoria. Aos 36 anos, já atuou em muitos clubes do Brasil. Começou no Guarani, mas defendeu Portuguesa, Bragantino, Grêmio e várias vezes o próprio Paulista de Jundiaí.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.