Zico critica a fórmula do Mundial e vê Japão na semifinal

O técnico da seleção japonesa de futebol, o brasileiro Zico, criticou duramente nesta terça-feira o sistema de disputa da Copa do Mundo. Na visão do treinador, a divisão dos países em grupos e a escolha dos cabeças-de-chave beneficia as grandes seleções.Apesar de discordar do sistema de disputa do Mundial, Zico acredita que o Japão chegará à semifinal da competição. Já com relação ao seu futuro, o brasileiro revelou que pretende trabalhar na Europa após a Copa."Não sei como a Argentina, que foi eliminada na primeira fase da última Copa, pode ser cabeça-de-chave nesse Mundial. É porque ganharam um título há 20 anos? Por que fazem isso com a gente? (As questões financeiras) parecem mais importante. Isto é injusto, não é futebol", contou o brasileiro em entrevista à Agência EFE, inconformado com o sistema de distribuição das seleções para a Copa.Porém, Zico acredita que chegará com o Japão até a fase semifinal da Copa. "Temos que ir para o Mundial com essa mentalidade (de ficar entre os quatro melhores). Sei que minha equipe pode ganhar as três primeiras partidas, como também pode perdê-las. No futebol não existe muita diferença. São os detalhes que ganham uma partida".Outro ponto que preocupa o treinador é a arbitragem. Zico afirmou que enquanto os juízes errarem as grandes seleções continuarão no topo. "As decisões deles (os árbitros) são sempre favoráveis para os grandes. Eles não precisam disso. Se quando não jogam bem precisam da ajuda dos juízes, o futebol será sempre para Brasil, Argentina, Alemanha, Itália..."Zico considera que já cumpriu a sua missão no Japão e revela que vai deixar a equipe após o Mundial para tentar a sorte na Europa. "Adoraria ter uma oportunidade no futebol europeu, apesar de não ter conversado com ninguém". O treinador também descartou a possibilidade de voltar ao Brasil, pois considera que "não existe respeito" com os técnicos.O Japão está no Grupo do Brasil da Copa do Mundo da Alemanha, ao lado de Croácia e Austrália.

Agencia Estado,

25 de abril de 2006 | 10h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.