Zico culpa CBF por má fase da seleção

"A diferença é que eles não estão vendendo a seleção argentina a preço de banana." Essa frase é do ex-jogador Zico, ao comparar a situação do time brasileiro, que empatou com um time misto do Japão, e do argentino, que goleou a Colômbia e lidera as eliminatórias do Mundial de 2002. Para ele, a maioria dos atletas convocados para a disputar a Copa das Confederações não está "preparada" para representar o Brasil. "A seleção tem sempre que ter o time principal quando entra em campo", avaliou. Ao comentar o acordo que impediu o técnico Emerson Leão de chamar vários jogadores, Zico não poupou o treinador da seleção. "Mas este grupo é o que na cabeça dele é o mais forte entre os disponíveis." O ex-jogador, no entanto, disse que Leão não é o grande culpado pelo momento vivido pela seleção, atribuindo à direção da CBF a responsabilidade pela decadência. "Acho que ele não deve estar tendo o apoio para realizar o que idealiza", observou. Afirmou, mais uma vez, que os problemas extra-campo são os principais motivos para a situação da equipe brasileira.Anteriormente, ele já tinha pedido a renúncia do presidente da CBF, Ricardo Teixeira. O dirigente, que estava no Japão, chegou ao Brasil, mas não foi nesta segunda-feira à sede da entidade. Antes de viajar, ele garantiu que o resultado da Copa das Confederações não teria influência sobre o futuro de Leão.Ao analisar o desempenho da seleção no empate sem gols com o Japão, Zico disse que foi "duro de se ver". "É dose para leão", completou. O Brasil, explicou, está jogando hoje em um padrão defensivo, com forte marcação para impedir o adversário de marcar gols. Por isso, segundo ele, o time tem dificuldade para atacar. "Naquele meio-de-campo não havia gente para criar jogadas." O Brasil, como explicou o ex-jogador, não está impondo mais respeito."É o cúmulo o Japão entrar com um time reserva para enfrentar o Brasil", revoltou-se. O que mais preocupa Zico é o fato de a seleção estar em um momento instável quando vai decidir a sua classificação para a Copa do Mundo de 2002. "Este jogo com o Uruguai é decisivo." Na Argentina, em entrevista ao jornal local "El Clarín", Pelé disse que, hoje "a seleção argentina está muito melhor do que a brasileira".Para ele, o time argentino é mais organizado taticamente, mas não tanto quanto à França, que classificou como o melhor time do mundo.

Agencia Estado,

04 de junho de 2001 | 18h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.