Zico pede demissão do comando da seleção do Iraque

O ex-jogador Zico anunciou, por meio de nota publicada em seu site oficial, na noite da última terça-feira, que pediu demissão do comando da seleção do Iraque. O treinador disse que enviou um comunicado à Fifa e à Associação Iraquiana de Futebol (IFA, na sigla em inglês) para avisar que não seguirá no cargo.

AE, Agência Estado

28 de novembro de 2012 | 09h33

Sem entrar em detalhes, Zico apenas informou que comunicou às duas entidades, por volta das 12 horas (de Brasília) desta terça, que considera seu contrato rescindido por "descumprimento da IFA" (de questões contratuais) e depois encerrou a curta nota oficial prometendo: "Em breve prestarei mais esclarecimentos".

O consagrado ídolo do Flamengo e da seleção brasileira comandou o Iraque em 24 partidas, nas quais acumulou 12 vitórias, seis empates e seis derrotas, sendo que deixou o comando da seleção do país no momento em que lutava para classificá-la para a Copa do Mundo de 2014, cujo palco será o Brasil.

O Iraque hoje é o terceiro colocado do Grupo B da quarta e última fase das Eliminatórias da Ásia para o Mundial, com cinco pontos, ao lado da Austrália, que ocupa a vice-liderança pelos critérios de desempate.

Contratado em agosto do ano passado, Zinho tinha contrato com o Iraque até 2014, mas em julho já havia reclamado de salários atrasados. Na época, revelou que não recebia há cinco meses e ameaçou deixar a seleção iraquiana, mas acabou continuando no cargo, para agora finalmente anunciar a sua demissão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolIraqueZico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.