Zico: Ronaldo é o melhor depois de Pelé

Desafeto de Romário, o técnico do Japão e ex-jogador Zico dificilmente aborda assuntos em que o atacante esteja envolvido, mas na polêmica sobre quem é o melhor atleta após a "Era Pelé" o ex-craque rubro-negro foi categórico: Ronaldo, do Real Madrid. De férias no Rio, ele só se reapresenta ao time japonês no final deste mês, para iniciar os treinamentos à partida contra Cingapura, dia 17 de novembro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006. "Ronaldo está a mil anos-luz na frente de todo mundo. O cara foi três vezes melhor do mundo, ganhou duas copas, fez a final de outra, foi artilheiro da Liga dos Campeões e de tudo que disputou", afirmou Zico, em entrevista ao programa Bem Amigos, da Sportv, segunda-feira. "Depois dessa turma do Pelé, o Ronaldo foi quem mais fez pelo futebol brasileiro. E não fez pouco não, fez muito." Em momento algum da entrevista, Zico citou Romário. Desde que resolveu processar o atacante, o ex-jogador evita tocar em seu nome. As desavenças entre os dois começaram porque o artilheiro elegeu o técnico do Japão, na época coordenador-técnico da seleção, como um dos responsáveis pelo seu corte da Copa do Mundo da França, em 1998. Em seguida, alegando ser uma "homenagem", Romário pintou uma caricatura de Zico em uma das portas de seu antigo bar temático sobre futebol. O técnico do Japão não gostou do gesto e resolveu processar o artilheiro. Sobre o Japão, Zico comemorou o fato de ter classificado a equipe para a segunda fase das Eliminatórias Asiáticas com uma rodada de antecedência. Destacou ter conseguido este ano treinar o time por duas semanas, já que ao assumir em 2003 só tinha contato com os atletas três dias antes dos confrontos. "Se tivesse que dar uma nota de 0 a 10, daria 7 ou 8. Hoje só vejo no mundo duas seleções num nível superior às outras: Brasil e Argentina. Não tenho medo de enfrentar nenhuma seleção européia. O nível do jogador japonês melhorou muito", falou Zico sobre a evolução japonesa no futebol. "O jogador hoje vai e tenta uma jogada e não fica só obedecendo o treinador. Mas ainda perdem no porte físico, no contato físico. Tenho que criar um sistema para que isso não faça diferença na hora do jogo contra uma equipe mais forte fisicamente". Zico ainda analisou a atual crise no Flamengo. Considerado o maior jogador de todos os tempos no clube, ele demonstrou irritação com o comportamento do atual elenco rubro-negro. "Acho que é importante a questão dos salários em dia. Mas, quem vai lá para dentro do campo não tem que ficar pensando que o salário está atrasado há dois meses. Ele que cobra, não vai ao clube, pára de trabalhar, porque tem todos os direitos. Mas já que foi, não pode ficar falando depois que faltou empenho", disse Zico. "Foram tantos anos a gente lutando e sangrando em campo para ver o Flamengo em uma boa posição. Hoje, o futebol passa e os caras amanhã estão em outro clube. E que se dane o Flamengo, que está na Segunda Divisão." Há muito descontente com a situação caótica do futebol carioca, Zico disse esperar que o afastamento do presidente da Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), Eduardo Viana, faça com que os clubes decidam por mudanças. O técnico do Japão argumentou que, além de contar com a anuência das agremiações, o dirigente afastado em nada contribui para a evolução do futebol do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.