AFP
AFP

Zidane admite pela primeira vez comandar o Real Madrid

Francês, que trabalha no time B dos merengues, aceitaria o cargo

O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 19h42

Zidane admitiu pela primeira vez que aceitaria assumir o comando técnico do Real Madrid se o o presidente Florentino Perez pedisse. O time merengue vive período de estabilidade na Espanha, embora ainda esteja vivo tanto na Liga dos Campeões quanto no Nacional. Aos 42 anos, o ídolo francês é treinador do Castilla, o time B do Real Madrid. Seu nome tem sido especulado para substituir Carlo Ancelotti, apontado como um dos responsáveis pela estabilidade do time espanhol.

"Se o cargo de treinador do Real fosse proposto a mim, certamente aceitaria. Mas há um treinador agora que está fazendo um trabalho muito bom e estou em uma estrutura e ainda estou aprendendo", disse Zidane ao Canal + "Estou pronto para o trabalho? Você nunca está pronto, e mesmo se você não está ainda, você diz que sim. Como jogador, não forjei minha carreira em dois anos. As coisas acontecem de forma gradual."

Zidane disse ainda que acompanha o trabalho de Carlo (Ancelotti) de perto. "Eu aprendi muito com Carlo e ele sabe o que penso. Ele é o treinador perfeito para o Real Madrid, apesar do que as pessoas dizem." Zidane também já trabalhou ao lado de José Mourinho quando o técnico português estava no Santiago Bernabéu, e também exaltou suas qualidades.

Com Mourinho, aprendi a nunca desistir. Seu talento é surpreendente, mas ele está certo, porque ele é duro, mas justo. Com Ancelotti, é diferente. Ele é um 'pai legal' para seus jogadores. Ele é mais paciente. Mas também sabe que às vezes você precisa ser duro", continuou o francês. "O gerenciamento de egos é a coisa mais difícil para um treinador. A dificuldade é gerir um grupo, é como um negócio. Às vezes, você tem de ser duro, às vezes deixar alguns jogadores sozinhos. Um único jogador pode desestabilizar todo o elenco. Em uma equipe, há regras a seguir."

Mais conteúdo sobre:
futebol internacional real Madrid Zidane

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.