Arquivo/AE
Arquivo/AE

Zidane diz preferir morte a se desculpar com Materazzi

Ex-meia da seleção francesa se nega a pedir perdão pela cabeçada dada no zagueiro italiano, na Copa de 2006

AE-AP, Agencia Estado

01 de março de 2010 | 13h49

A polêmica final da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, ainda gera discussão. Nesta segunda-feira, o ex-meia da seleção francesa Zinedine Zidane declarou que se recusa a pedir desculpa ao zagueiro italiano Marco Materazzi, em quem deu uma cabeçada no segundo tempo da prorrogação daquela decisão.

Em entrevista concedida para o jornal espanhol El País, o craque francês admitiu que sentia culpa por ter sido expulso, prejudicando sua seleção, mas negou que deva pedir perdão ao jogador italiano.

"É claro que me sinto culpado, mas se peço perdão também estaria admitindo que o que ele fez é uma coisa normal e, para mim, não é. Além disso, minha mãe estava hospitalizada e, no momento, acabei perdendo o controle", declarou o ex-meia.

Ainda de acordo com Zidane, o fato de a provocação ter partido de Materazzi, ajudou em sua ação: "Se tivesse acontecido com um jogador como Kaká, por exemplo, que é uma boa pessoa, com certeza teria pedido perdão. Mas não para Materazzi, nunca, seria me desonrar. Prefiro morrer", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do MundoZidaneMaterazzi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.