Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Zidane minimiza vantagem do Real e lamenta má fase de Benzema: 'Está sofrendo'

Mesmo solidário com atacante francês, treinador não confirmou se ele continuará entre os titulares

Estadão Conteúdo

10 de abril de 2018 | 12h34

O técnico Zinedine Zidane cumpriu o protocolo nesta terça-feira ao falar sobre o duelo de volta do Real Madrid contra a Juventus, quarta-feira, no Santiago Bernabéu, pelas quartas de final da Liga dos Campeões. Ele minimizou a vantagem de 3 a 0 no jogo de ida, disse que o adversário tem total capacidade de reverter o placar e que sua equipe vai jogar como se a primeira partida não existisse.

+ Nacho fica fora de treino e Casemiro pode ser improvisado na zaga do Real

+ Uefa abre investigação contra Liverpool após ônibus do City ser alvo de violência

A novidade veio ao falar sobre seu centroavante, Karim Benzema. O treinador não confirmou se ele continuará entre os titulares e falou sobre o momento difícil que passa na carreira. "O vejo como sempre. Mas sei que ele está sofrendo um pouco. Ele gostaria de estar melhor, marcar mais gols. Ele tem treinado bastante, está sempre dedicado e concentrado para os jogos, como seus companheiros", comentou.

Benzema disputou 37 partidas na temporada e marcou apenas nove gols. No jogo de ida contra a Juventus, na última terça-feira, ele foi titular. Mas ficou no banco de reservas no clássico contra o Atlético de Madrid, domingo, pelo Espanhol. O centroavante entrou no segundo tempo na vaga de Cristiano Ronaldo, mas passou em branco no empate por 1 a 1.

Zidane também não confirmou a formação do setor defensivo da equipe, que não contará com Sergio Ramos e Nacho Fernández. É possível que o treinador desloque o brasileiro Casemiro para a zaga caso Jesús Vallejo seja vetado pelo departamento médico.

"Jesús treinou bem até o final e não sentiu nada. Mas vamos esperar até amanhã (quarta-feira) para definir a escalação. Precisamos nos adaptar a situações, temos um grande elenco e não temos problemas para encontrar um substituto", disse.

Sobre a vantagem adquirida na primeira partida, o discurso de sempre. "O 3 a 0 não vai mudar nada para nós. É um novo jogo e o que passou, passou. Foi um bom resultado, mas ainda falta 50% da disputa nessa eliminatória. Temos que fazer outra grande partida para passar de fase", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.