Zinho diz que ainda acredita no Vasco: 'Os jogadores nos trazem confiança'

São cinco pontos de desvantagem para o primeiro time fora da zona de rebaixamento, e a cada partida que passa, a queda do lanterna Vasco parece mais perto. Mas mesmo a apenas cinco rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, o discurso no clube segue otimista. De acordo com o auxiliar-técnico Zinho, isso acontece pela postura dos jogadores no dia a dia.

Estadão Conteúdo

04 Novembro 2015 | 20h29

"Nosso discurso é positivo porque os jogadores nos trazem confiança. Se nós sentíssemos o grupo devagar, sem motivação durante os treinos, talvez o espírito fosse outro. Mas em nenhum momento percebemos isso, muito pelo contrário, eles se dedicam, se empenham", declarou nesta quarta-feira.

Neste domingo, o Vasco terá uma nova decisão, desta vez diante do Palmeiras, em São Paulo. E é justamente no rival deste fim de semana que o time carioca se inspira. Isso porque o clube alviverde escapou do rebaixamento no ano passado com apenas 40 pontos. A meta vascaína é somar 42 - atualmente tem 30.

"Outro fator importante é a pontuação. A matemática não diz que o Vasco caiu, mas sim que ele possui chances de escapar, desde que faça sua parte dentro de campo. Nos últimos jogos, infelizmente, batemos na trave várias vezes, mas uma vitória contra o Palmeiras nos deixará mais vivos do que nunca", opinou Zinho.

Para o duelo diante do Palmeiras, o Vasco não poderá contar com o volante Bruno Gallo e o atacante Jorge Henrique, vetados por lesão. E Zinho preferiu fazer mistério sobre a escalação. "Vamos iniciar esse trabalho tático amanhã sabendo que não teremos dois jogadores importantes. O Jorginho já tem algumas ideias, mas irá esperar para ver o rendimento de alguns atletas durante os próximos dias de treinamento. Não adianta se precipitar."

Mais conteúdo sobre:
futebol Vasco Zinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.