Zveiter não se abala com protestos

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, reagiu com ironia e mostrou tranqüilidade com a decisão de cinco clubes de tentarem convencer o tribunal a voltar atrás na anulação de 11 partidas do Campeonato Brasileiro. ?Foram mesmo quantos clubes que assinaram o documento? Três? Cinco? Tudo bem, vou analisar o que eles têm a apresentar?, afirmou.Depois, Zveiter criticou a posição do presidente do Internacional, Fernando Carvalho, que disse não haver ?prova cabal de fraude? para a anulação dos jogos. ?Ele está sendo mal assessorado. É só ler o Artigo 275 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD)?, disse o presidente do STJD. No texto citado, o procedimento ?atentatório à dignidade do desporto?, com o fim de alterar resultado de competição, determina a anulação de partidas.?Só há um jeito de a decisão ser revista. O Edílson Pereira de Carvalho (árbitro que confessou a manipulação de resultados) provar que não fez o que fez. Isso me parece impossível?, avisou Zveiter.Para Zveiter, se surgisse outro ?elemento? com dados a respeito do ?esquema? de Edílson, como um caderno de contabilidade em que houvesse registro de entrada e saída de dinheiro que confirmassem a atuação da máfia do apito, aí sim poderia haver a possibilidade de se ?individualizar a contaminação dos jogos?. ?Como isso não existe, todas as partidas estão comprometidas?, justificou. O presidente do STJD continua convicto de que nenhum clube ingressará na Justiça comum para contestar as anulações. ?Os clubes que estão se movendo fazem isso para dar uma justificativa à torcida, ao público interno?, disse Zveiter.Protesto ? O advogado Luis Eduardo Salles Nobre, conhecido no Rio por defender ex-campeões do mundo em ações contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por uso indevido de imagem, ofereceu nesta terça-feira ao Conselho Nacional de Justiça uma reclamação disciplinar contra Luiz Zveiter, que é desembargador e, por isso, segundo Nobre, não poderia acumular outra função, como a de presidente do STJD.Zveiter ficou irritado com a atitude do advogado. ?Ele age como abutre, que, ao perceber a existência de algo podre, no caso o escândalo da arbitragem, fica procurando carniça para ter seus 30 segundos de fama?, disse o presidente do STJD.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.