40 anos sem Rocky Marciano

Norte-americano foi um gênio dos pesos pesados

, O Estadao de S.Paulo

31 de agosto de 2009 | 00h00

Há 40 anos, na noite de 31 de agosto de 1969, Rocky Marciano enfrentou uma tempestade, pois no dia seguinte queria estar com a família, em Bronckton, Massachusetts, sua cidade natal, para festejar o aniversário de 46 anos. Mas o avião caiu próximo de Newton, Iowa, e matou o único boxeador campeão invicto dos pesos pesados. Filho de imigrantes italianos, Rocco Francis Marchegiano queria ser jogador de beisebol na infância. Ao servir o exército conheceu o boxe e se apaixonou. Como amador mostrou talento ao ganhar o torneio Luvas de Ouro de New England. Por ser considerado baixo (1,78 metro), leve (84 quilos) e com pouca envergadura (1,75 metro) para integrar a categoria dos pesados, o técnico Charley Goldman treinou Marciano para encarar os rivais grandalhões na curta distância, aceitando a luta aberta. Seus duelos sempre foram prato cheio para os amantes do boxe, que, apesar verem seu rosto ensangüentado, sabiam que a vitória sempre viria. Foi assim nos 49 combates como profissional - dos quais 43 vencidos por nocaute. A primeira grande luta ocorreu em 26 de outubro de 1951, um nocaute no 8º assalto sobre a lenda Joe Louis, ídolo de infância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.