A Espanha mostrou a sua força

Com autoridade, ganhou da França em Paris por 1 a 0 e pulou para a primeira colocação da chave

PARIS, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2013 | 02h03

A Espanha mostrou ontem que não é campeã do mundo e bicampeã da Europa por acaso. O time entrou em campo com obrigação de ganhar da França diante de 80 mil torcedores e não perdeu a serenidade nem por um segundo durante os 90 minutos. Impôs o seu jogo de toque, controlou a partida e venceu com méritos por 1 a 0 para reassumir a liderança da chave e se aproximar da vaga para a Copa do Mundo no Brasil.

"Fizemos uma grande partida, com muita personalidade", disse o técnico Vicente del Bosque. "Os jogadores que foram a campo estiveram muito bem, e os que ficaram no banco vibraram junto com o time o tempo todo. Este é o espírito ideal."

Com a volta de Xavi e Xabi Alonso, que não jogaram no decepcionante empate em casa com a Finlândia por 1 a 1, a Espanha ganhou muita qualidade para trocar passes. E poderia ter deixado a França em apuros já aos quatro minutos, quando Iniesta desmontou a marcação com um passe em profundidade para o lateral-esquerdo Monreal. Ele foi à linha de fundo e rolou para trás, achando Xavi livre. O capitão tocou de primeira e mandou por cima.

A França adotou uma postura pouco ambiciosa, preferindo jogar por um empate que a manteria com dois pontos de vantagem sobre a Espanha do que tentar a vitória que a colocaria disparada na liderança e com a classificação para a Copa praticamente garantida. Em 90 minutos teve apenas uma chance clara, num contragolpe aos 38 do primeiro tempo em que Ribéry entrou sozinho na área e chutou no corpo do goleiro Valdés.

No segundo tempo Iniesta quase abriu o placar aos nove minutos. Mas aos 13 não teve jeito, e Pedro aproveitou um cruzamento de Monreal para colocar a bola na rede. Foi o seu décimo gol pela seleção na temporada. "Estou muito feliz. Não podíamos falhar esta noite, e conseguimos uma grande vitória."

O gol complicou a vida dos franceses, que precisavam atacar para tentar o empate mas não conseguiam ter volume de jogo porque a Espanha, como de hábito, ficava mais com a bola. Para piorar, aos 32 minutos Pogba foi expulso. E correr atrás da bola tocada pelos espanhóis com um a menos é uma tarefa inglória.

A Itália jogou fora de casa contra Malta e cumpriu a sua obrigação. Venceu por 2 a 0, com dois gols de Balotelli no primeiro tempo, e continua com folga na liderança da chave. Tem três pontos de vantagem sobre a Bulgária e uma partida a menos.

Chance perdida. A Inglaterra perdeu a chance de assumir a primeira posição. Saiu na frente de Montenegro com um gol de Rooney no primeiro tempo, mas levou um de Damjanovic no segundo e saiu de campo ainda dois pontos atrás do adversário.

A esperança de conseguir a vaga sem precisar da repescagem reside no fato de o time ainda ter o jogo em Londres contra Montenegro.

Portugal bateu o Azerbaijão por 2 a 0 sem Cristiano Ronaldo, que cumpriu suspensão, mas sua situação não se alterou porque Israel derrotou a Irlanda do Norte fora de casa pelo mesmo placar e se manteve em segundo lugar - os portugueses estão em terceiro.

Os gols de Portugal saíram só no segundo tempo. O zagueiro Bruno Alves abriu o placar e Hugo Almeida completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.