A festa começou

LONDRES - Londres parou. Cinco milhões de pessoas, nas estimativas do prefeito Boris Johnson, foram para as ruas ontem celebrar a Olimpíada. Se havia alguma dúvida sobre a sede dos Jogos estar pronta, dissipou-se com as nuvens e terminou em festa, assistida dos parques, das janelas, de cada canto onde era possível enxergar um pedacinho que fosse do Parque Olímpico.

ADRIANA CARRANCA, ENVIADA ESPECIAL LONDRES , O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2012 | 03h03

A cerimônia foi transmitida ao vivo em telões gigantes no Hyde Park, Victoria Park e Trafalgar Square, onde o cronômetro que fazia a contagem regressiva para os Jogos zerou às 21 horas do horário local, quando foi dada a largada da festa do outro lado da cidade. Desde o início da tarde, havia shows simultâneos e apresentações de artistas em todos os bairros da cidade.

O metrô lotou, o trânsito complicou, mas não chegou a parar. A segurança fechou a partir das 15 horas todo o entorno do Parque Olímpico, inclusive o acesso ao centro de compras de Westfields. Só os que tinham ingresso puderam circular pela região.

"Houve muita confusão no metrô todos esses dias, muitas mudanças, mas agora que a parte boa começou, todos querem participar", diz a brasileira Isabela Souza, que foi a Candem para a festa de abertura, onde uma praia artificial foi montada junto ao telão que exibirá as provas nas próximas duas semanas.

Mais cedo, milhares de pessoas acompanharam a reta final da tocha, que fez a última parte do trajeto até o Parque Olímpico pelo rio Tâmisa, no Gloriana, barco de 1 milhão de libras fabricado para o Jubileu da Rainha, em fevereiro. Foram 70 dias, 12.875 quilômetros viajados pela Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte pelas mãos de 8 mil britânicos. Estima-se que 13 milhões de pessoas tenham visto a passagem da tocha.

Os britânicos não admitem, mas adoram uma festa. Já haviam lotado antes as ruas de Londres este ano para o Jubileu da Rainha, o casamento do príncipe William com Kate. Não será diferente nos dias de Olimpíada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.