''A Fórmula 1 pode desaparecer'', diz Alonso, preocupado com o futuro

Fãs da Fórmula 1, equipes, investidores, pilotos, enfim, todos perdem, em princípio, com o inevitável racha promovido pela associação dos times, Fota. Ontem, os pilotos, demonstrando preocupação com o que pode ser o desfecho do caso, não se esquivaram de comentá-lo. "A Fórmula 1 pode desaparecer", prognosticou o bicampeão Fernando Alonso, da Renault. "Terá pilotos desconhecidos, equipes pequenas, será como a A1GP ou GP2, categorias boas, mas ninguém liga."Para Felipe Massa, não será de um instante para o outro que a Fota promoverá um campeonato em que tudo funcione bem. "Será preciso um ou dois anos. Por isso, todos nós saímos perdendo. Mas será o campeonato das melhores equipes, onde nós desejamos estar." Para ele, não muda nada ser campeão no evento da Fota. "Os melhores vão estar lá, corresponde à Fórmula 1."Entre o que as empresas investem na Fórmula 1 e o que lhes é dado de direito para decidir seus rumos é pouco. "Por isso, penso ser legítima a reivindicação da Fota", opinou Nelsinho Piquet, da Renault. Como os colegas, Rubens Barrichello, da Brawn, disse que fica com a Fota. "Mas acho possível, e espero, que no fim exista um campeonato apenas."O líder do Mundial, Jenson Button, da Brawn, fez um comentário interessante e que reflete bem como seria se não houvesse união na Fota: "Vencer a Ferrari na pista é uma sensação incrível. E, se eles não estivessem conosco no ano que vem, seria muito diferente." Brawn e Ferrari estão juntas com McLaren, BMW, Renault, Toyota, Red Bull e Toro Rosso no projeto de conceber um Mundial próprio. No campeonato da Fota, voltam as provas de Indianápolis, Montreal e Magny-Cours, que saíram por não poderem pagar o que lhes é cobrado para receber o evento. E terá corridas em Mugello, na Itália, e no novo autódromo de Portimão, em Portugal. "Mônaco já avisou que está conosco", falou Flavio Briatore, da Renault.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.