A insatisfação pelo desastre do projeto

Luxemburgo tentava desde o ano passado manter uma base no time

, O Estadao de S.Paulo

28 de junho de 2009 | 00h00

A saída de Keirrison deixou Vanderlei Luxemburgo em saia justa. Justo ele, que tentava colocar em prática o projeto que sonhava desde o ano passado, e viu falhar com o desmanche que o time sofreu ao término de 2008 (Alex Mineiro, Leandro e Kléber foram alguns dos mais de 10 atletas a deixar o clube). No início do ano, falou que sua equipe estaria pronta para o segundo semestre, desde que a base fosse mantida. Ele tinha a promessa da Traffic que Keirrison e Cia. não sairiam tão cedo. Acordo desfeito, exagerou nas declarações na sexta-feira e atingiu a diretoria, que o demitiu.Em sua 4ª passagem pelo Palmeiras, Luxemburgo colecionou mais problemas do que glórias. Foi campeão estadual no ano passado e, depois, fracassou em todos os torneios: caiu nas oitavas de final da Copa do Brasil e viu sua equipe fraquejar no momento decisivo do Brasileiro de 2008; e, neste ano, perdeu para o Santos na semifinal do Paulista e deu adeus à Libertadores nas quartas de final.O técnico teve também inúmeros problemas com a torcida durante seus 18 meses de trabalho: foi vaiado e xingado, retrucou, parou na delegacia após troca de agressão com integrantes da Mancha Alviverde... Não faltaram confusões.Até hoje, Luxemburgo comandou o Palmeiras em 367 jogos, com 221 vitórias, 81 empates e 65 derrotas, aproveitamento de 67,5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.