A lenda quer brilhar ainda mais

Depois de feito inédito em Londres, Bolt busca retomar o título mundial dos 100 metros

AMANDA ROMANELLI, O Estado de S. Paulo

27 de março de 2013 | 17h40

Usain Bolt é brincalhão, midiático, mas não descansa em serviço – é conhecido por fazer grandes promessas e, claro, cumpri-las. Foi assim na Olimpíada de Londres, quando afirmou que viraria uma “lenda” do atletismo. E assim o fez, ao se tornar o primeiro homem a conquistar o bicampeonato olímpico nos 100 m, 200 m e 4 x 100 m.

Neste ano, o jamaicano tentará superar o principal revés de sua carreira. No Mundial de Moscou, de 10 a 18 de agosto, o objetivo de Bolt é reconquistar o título dos 100 m. Há dois anos, em Daegu, ele queimou a largada e foi desclassificado.

O ouro ficou com outro jamaicano, Yohan Blake, até então pouco conhecido. Mas o velocista, que ganhou o apelido de “Besta”, mostrou que é ameaça real a Bolt. Em Londres, não conseguiu superar o astro, mas correu muito perto. Este ano, não vai abrir mão de defender seu título, e ainda terá de controlar a ânsia dos americanos, que querem voltar a vencer nas principais provas de velocidade.

O Mundial também reservará emoções para o salto com vara feminino. O torneio poderia marcar a despedida de Yelena Isinbayeva, que desistiu da aposentadoria após o bronze olímpico em Londres. Disposta a ser campeã no Rio, a russa não é mais imbatível. Neste ano, já viu a campeã olímpica Jenn Suhr se tornar a segunda mulher do mundo a saltar acima de 5 m. Um duelo de alto nível está por vir.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoespeciais do esporte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.