ACELERADAS - GP da Alemanha

-- Rubens Barrichello, da Williams, abandonou o GP da Alemanha na 16.ª volta. "A equipe me avisou que havia um problema capaz de comprometer o motor, vazamento de óleo. Se continuasse, poderia quebrá-lo. Mandaram parar. Pode ser que ainda possamos usá-lo." Há uma limitação de oito motores por temporada por piloto.

Livio Oricchio - Enviado Especial, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2011 | 00h00

-- Eric Boullier, diretor da Renault, está descontente com Nick Heidfeld. Bruno Senna o substituirá no treino livre de sexta-feira, na Hungria. Romain Grosjean, líder da GP2, pode realizar o mesmo trabalho de Bruno. Se Robert Kubica não puder voltar a correr, é preciso prepará-los.

-- Sebastian Buemi, suíço da Toro Rosso, vai largar cinco posições atrás da que estabelecer sábado, em Hungaroring. É uma punição por ter provocado o acidente que gerou o abandono de Nick Heidfeld, ontem, na décima volta do GP da Alemanha.

-- Fernando Alonso não ficou triste com a força demonstrada pela McLaren, ontem. "É mais gente para tirar pontos de nossos adversários na luta pelo título", comentou o piloto da Ferrari. E alfinetou Felipe Massa. "É preciso o companheiro de equipe também fazer o mesmo."

-- O arrojo do piloto japonês Kamui Kobayashi, da Sauber, e a estratégia de dois pit stops, ontem, em vez de três, como a maioria, o levaram do 17.º lugar no grid à 9.ª colocação. Com 27 pontos, ameaça agora Michael Schumacher, da Mercedes, 10.º no campeonato, com 32.

-- O inglês Jenson Button estava frustrado. Em Silverstone abandonou depois de um erro no pit stop. Na Alemanha, ontem, embora não tivesse o ritmo do companheiro de McLaren, Lewis Hamilton, vencedor, "seria quarto", disse, não fosse a pane hidráulica na 35.ª volta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.