Acosta: ''Obrigado a todos''

De volta ao time, uruguaio, autor do gol da vitória, agradece à família, companheiros, técnico...

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

20 de março de 2008 | 00h00

Depois de garantir a vitória sobre a Ponte Preta, por 1 a 0, há 25 dias, Acosta esperava desencantar no Corinthians. Mas naquele jogo, acabou levando o terceiro cartão amarelo. Dias depois, se machucou. Ontem, mesmo não estando 100% fisicamente, retornou e, com menos de cinco minutos em campo, mudou o rendimento do time e ainda marcou o gol da vitória sobre o Fortaleza (2 a 1). Sempre caladão, ontem estava radiante e, ao melhor estilo do ex-pugilista Maguila, agradecendo a todos.''Graças a Deus pude ajudar o time a vencer um jogo que estava difícil. Tivemos a chance de matar o duelo, mas a vitória está de bom tamanho'', comemorava. ''O professor perguntou se dava para agüentar os 90 minutos e disse que não. Joguei 30 muito bem e agradeço a ele, aos companheiros e a minha família, que sempre me deu força.''E até o goleiro Felipe se rendeu ao uruguaio. E fez um pedido inusitado. ''Tomara que todos sigam criticando o Acosta, pois toda vez ele entra e faz gols. Que sigam falando mal dele.''Autor do gol de empate, o zagueiro e capitão William estava indignado. ''O objetivo não foi alcançado. Desperdiçamos oportunidades de estarmos classificados'', disse. ''Agora teremos de lutar muito em casa.''Já o técnico Mano Menezes gostou do resultado. ''Jogo muito difícil e com placar justo. Talvez o 3 a 1 fosse demasiado'', analisou. ''Agora temos de cumprir o dever em casa.''E mostrou jogo de cintura para evitar falar de reforços, como Pedrinho. ''Se é para depois do Paulista, vamos falar só mais para frente.'' Mano quer um lateral-direito, um zagueiro, um volante, um meia e um atacante para a disputa da Série B. Para ganhar tais jogadores, terá de abrir mão de outros. Motivo? O time está com orçamento fechado e com a folha salarial no limite: R$ 2 milhões por mês.Pessoas influentes no clube garantem que alguns jogadores já podem começar a fazer as malas. Lima e Finazzi encabeçariam a lista. Bóvio também estaria na marca do pênalti, assim como Marcel (não agradou) e Valença (nem estreou).Se livrar de alguns salários, significa poder trazer seus reforços de peso. Na pauta, o meia Pedrinho e o atacante Kléber Pereira, do Santos. ''O Kléber está com um contrato de gaveta acertado com o Santos. Só falta o clube responder se aceita a proposta'', afirmou Daniel Pereira, irmão e procurador do atacante, irritado por saber que a TV Santa Cecília notificou que o jogador teria assinado um pré-contrato com o time da capital. ''Isso não é verdade e para mim, proposta de boca não vale nada. Se o Corinthians quiser contratá-lo, terá de me procurar.''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.