Acusado de abuso sexual no Pan, Thyê Mattos desembarca em silêncio no Rio

O goleiro reserva da seleção brasileira de polo aquático que disputou os Jogos Pan-Americanos de Toronto, Thyê Mattos, desembarcou na tarde deste domingo no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro após deixar na noite de sábado a cidade de Kazan, na Rússia, onde a equipe brasileira treinava para o Mundial de Esportes Aquáticos. Acusado de abusar sexualmente de uma canadense de 22 anos pela polícia local, ele não comentou o episódio e nem falou com a imprensa.

CARINA BACELAR, Estadão Conteúdo

26 de julho de 2015 | 18h45

Thyê deixou o local escoltado por amigos, familiares e pelo seu primeiro treinador na equipe do Fluminense, conhecido como Carlinhos. O pai do atleta, Sérgio Bezerra, foi buscá-lo e esperou pelo filho dentro de um carro particular. Não havia representantes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) ou do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) no local.

Neste domingo, o advogado Marcelo Franklin, à frente da defesa do atleta no caso, disse esperar ter acesso nos próximos dias à investigação aberta pela polícia. Segundo ele informou à reportagem do Estado, obter informações precisas sobre as acusações e eventuais provas apresentadas pela jovem canadense contra seu cliente é fundamental para estabelecer a estratégia de defesa.

"O atleta se declara inocente e, sem conhecer o processo e as provas, não há porque alguém acreditar no contrário. O que posso dizer é que ele está muito abalado, mas confiante de que vai conseguir provar que não praticou nenhum ato ilícito", declarou Franklin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.