Adilson lamenta lesões, mas exalta vitória do Cruzeiro

Após a vitória que tirou o Cruzeiro da zona de rebaixamento, o técnico Adilson Batista exaltou o triunfo sobre o Santo André nesta quarta-feira e atribuiu os tropeços nas rodadas anteriores às mudanças no time mineiro, em função de lesões que desfalcaram a equipe.

AE, Agencia Estado

23 de julho de 2009 | 00h06

"Não é questão de alívio. É evidente que os últimos seis jogos nós não vencemos. Três jogos em função de termos feito revezamento e mesclado os meninos do júnior, e dois com um jogador a menos, que acaba dificultando", justificou o treinador, que estava priorizando a Copa Libertadores.

Adilson também reclamou das lesões no time titular. Nesta quarta, por exemplo, os volantes Henrique e Fabinho tiveram que ser improvisados na zaga. Além disso, quatro atletas juniores foram relacionados para a partida - os zagueiros Neguete e Vinícius, o lateral-direito Diego Renan e o meia Dudu.

"Sabemos da importância de ganhar um Brasileiro e da dificuldade que é. Tivemos muitas lesões e essa foi a minha maior preocupação. Quando chegamos no Cruzeiro, em 2008, nós reduzimos em 72% o índice de lesão, mas esse ano, infelizmente, houve muitos traumas", acrescentou.

Justamente por causa dos desfalques, o técnico se disse satisfeito com o 2 a 0 aplicado pelo Cruzeiro no Santo André, fora de casa. "Fizemos um bom jogo. No primeiro tempo, até os 30 minutos nós criamos situações e poderíamos já ter saído com o placar a favor".

Adilson ainda elogiou as atuações de Thiago Ribeiro e Diego Renan. "Com a entrada do Thiago Ribeiro, ganhamos em velocidade e ele teve a capacidade de servir o Kléber. O Diego Renan também entrou bem. O Cruzeiro teve um comportamento muito bom e tenho que parabenizar os atletas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.