Adriano acha que a Inter joga pesado ao propor rescisão

A firmeza demonstrada pelos dirigentes da Inter na reunião de terça-feira com Gilmar Rinaldi em Milão teve o efeito de uma bordoada em Adriano. O atacante ficou arrasado ao perceber que tudo o que a diretoria quer é se livrar dele o mais rápido possível, nem que para isso seja preciso demiti-lo por justa causa e processá-lo na Fifa por danos causados à imagem do clube. Nem o presidente Massimo Moratti, que sempre passou a mão em sua cabeça, o perdoa.Adriano conversou ontem de manhã com seu procurador (Gilmar Rinaldi viajou direto de Milão para o Rio) e ainda hesita em concordar com os termos propostos pela Inter para a rescisão do contrato, que terminaria em 30 de junho de 2010. O clube o deixa livre imediatamente para assinar com quem quiser desde que ele concorde em não receber nada. Adriano quer uma parte (na Itália fala-se em 50%) dos 5,5 milhões (R$ 16 milhões) que ganharia em salários pelo contrato.A Inter não quer nem ouvir falar em pagar algo a ele, e lhe deu uma semana para mudar de ideia. Se não mudar, o clube rescindirá unilateralmente o vínculo e ingressará com uma ação na Fifa. Gilmar embarcará para Milão terça ou quarta-feira para resolver a situação de uma vez por todas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.