Adriano de novo irrita Mourinho

Jornal diz que técnico afasta o astro por causa de noitada. A Inter nega

, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

Adriano voltou à rotina de ver-se envolvido em polêmica. Depois de recuperar espaço na Internazionale - na terça-feira, participou da derrota por 2 a 1 diante do Werder Bremen, pela Copa dos Campeões -, mais uma vez ganha destaque por suposto deslize. La Gazzetta dello Sport, principal diário esportivo da Itália, informou que o atacante brasileiro chegou bêbado a um treinamento na quinta-feira e que o técnico José Mourinho o mandou para casa.De acordo com o jornal, o episódio seria mais uma demonstração da falta de comprometimento de Adriano com a Inter, já que não é a primeira vez que tem problemas desse tipo. Em novembro, havia sido barrado por Mourinho por ter chegado atrasado a um treinamento, depois de ser flagrado em uma boate durante a madrugada ao lado de Ronaldinho Gaúcho. Ficou quatro jogos sem sequer ser relacionado para a concentração. Retornou à equipe em jogos do Campeonato Italiano e foi aproveitado no começo da semana no torneio continental.A diretoria da Inter tratou de apagar o mais recente incêndio. Para tanto, publicou em seu site na internet nota em que afirma que Adriano fez tratamento para recuperar-se de estiramento na coxa direita. Por isso, teria ficado fora do treino.A Gazzetta aparentemente não encampou a explicação e afirmou que esse pode ter sido o último ato de indisciplina de Adriano na Inter. Clube e Mourinho teriam perdido a paciência com as sucessivas falhas de comportamento do astro. Cresce a tendência para que Adriano seja emprestado em janeiro, quando se abre a janela de transferências na Europa. Ele tem contrato até o fim de 2010.A confusão espirrou para o lado de Maicon. O lateral da seleção e da Inter também teria chegado embriagado ao centro de treinamento. O clube, contudo, informa que o atleta fez um trabalho à parte, devido ao desgaste provocado pelo jogo contra o rival alemão.Por outro lado, Ronaldinho Gaúcho admitiu que freqüenta casas noturnas. "Após o trabalho, gosto de me divertir. Boates existem para isso, ao diabo com os moralistas", afirmou ao La Stampa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.