WSL/Divulgação
WSL/Divulgação

Adriano de Souza elimina Gabriel Medina em etapa de Bells Beach

Campeão do mundo não tem bom início de temporada com em 2014

O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2015 | 20h05

No ano passado, após as duas primeiras etapas do Circuito Mundial de Surfe, Gabriel Medina já tinha 15.200 pontos, com um primeiro e um quinto lugar. Na edição deste ano, quando defende o título mundial conquistado em 2014, ele soma 6.950 pontos, com um 13º e um quinto lugar.

Apesar das dificuldades que vêm encontrando, ele espera render mais em Margaret River, a terceira etapa do ano, que tem início no dia 15 de abril. "Estou me sentindo bem, sei que Margaret é uma onda complicada também, mas espero conseguir surfar", disse.

Ele se refere aos problemas que teve na etapa de Bells Beach, quando foi eliminado nas quartas de final pelo compatriota Adriano de Souza. Em uma bateria equilibrada, mas em condições ruins do mar, ele acabou perdendo por 11,60 contra 8,33. O mar mexido e o vento forte atrapalharam os dois atletas.

"Não fui bem. Foi uma bateria complicada, não tivemos boas ondas e simplesmente não consegui surfar. É sempre difícil contra o Adriano", admitiu Medina, que no ano passado em Bells ficou em nono e neste ano melhorou a posição. Quem também caiu nas quartas de final foi Filipinho Toledo, vencedor da primeira etapa na temporada.

Vitorioso diante do campeão do mundo, Adriano reconheceu que o mar não estava apropriado, mas as perspectivas para os próximos dias não são tão boas e a organização deve definir a competição ainda nesta quinta-feira de madrugada.

"As ondas estavam muito difíceis, tivemos problemas para encontrar as melhores e eu me concentrei em me posicionar bem. Queria muito vencer a bateria e estou muito feliz. Tentei manter o pensamento positivo na minha mente, seguir em frente e pensar em cada passo que eu dei até aqui. Vou me concentrar no mar agora e espero que dê tudo certo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.