Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Adriano garante: 'Fico no Corinthians'

Atacante diz que episódio do disparo que atingiu jovem em seu carro não afetará permanência no clube

Sílvio Barsetti, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2011 | 03h03

RIO - Depois de dois dias e meio de silêncio, o jogador Adriano, do Corinthians, veio a público para negar que tenha baleado Adriene Cirylo Pinto, de 20 anos, na madrugada do dia 24, à saída de uma boate na zona oeste do Rio. A jovem levou um tiro na mão esquerda quando estava dentro da BMW do atacante. "Quando acontecem as coisas com Adriano, aumentam muito. Quero olhar nos olhos dela e perguntar se eu fui o autor do disparo", disse o jogador, pouco depois de chegar à 16.ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, onde prestou depoimento por 1h40.

Adriano disse acreditar que o fato não vai afetar sua permanência no Corinthians. "Eu garanto que eu vou continuar." Ao ser indagado sobre a irritação de dirigentes do clube com a repercussão do escândalo, tentou demonstrar serenidade. "Até agora estou muito tranquilo." Diante da insistência sobre a possibilidade de rescisão de seu contrato, declarou que conta com o apoio. "Conversei com o presidente, está tudo bem."

Na entrevista, pouco antes do depoimento, Adriano disse que estava na BMW com o tenente e duas amigas, quando um conhecido pediu que eles dessem carona a outras duas mulheres, uma delas seria Adriene. "Nunca tinha conversado com ela, só a tinha visto dançando num camarote", contou. "Foi má-fé dela em fazer a acusação. Eu até tirei a camisa, enrolei a mão ferida e a ajudei a ser colocada em outro carro para que fosse levada ao hospital."

Adriano reforçou que estava no banco do carona, ao lado do motorista, no instante em que houve o disparo. A perícia feita pela Polícia Civil já concluiu que o tiro foi dado por alguém que ocupava o banco de trás da BMW. Com exceção da vítima, todos os outros ocupantes do carro confirmam esta versão.

De acordo com o delegado Fernando Reis, acareações entre Adriene Cirylo e os envolvidos no caso, principalmente Adriano, devem ser feitas amanhã. Ele recebeu informações de que a jovem baleada, que deve ter alta do hospital ainda hoje, tem histórico recente de "vítima" em três ocorrências. "Isso é um dado importante para as investigações, mas não é determinante. Não podemos partir do princípio de que ela esteja mentindo. Mas alguém está", declarou Reis, que não identificou contradições no depoimento do jogador em relação ao primeiro encontro, no sábado. Adriano não vai pagar as despesas médicas de Adriene.

Tudo o que sabemos sobre:
AdrianoCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.