AFLD se diz satisfeita com exames na Volta da França

O presidente da Agência Francesa de Luta contra o Doping (AFLD), Pierre Bordry, se mostrou satisfeito com os resultados dos exames realizados durante a Volta da França e lamentou a falta de colaboração da União Ciclista Internacional (UCI).   Ao todo, a AFLD terá feito cerca de 250 análises na corrida, que no domingo chega à Champs-Elysées. A esses exames se somam os realizados por todos os ciclistas nos dias anteriores ao início da competição e s 80 testes-surpresa feitos durante os treinos preparatórios para a prova.   Segundo o presidente da AFDL, a agência adotou um sistema de testes direcionados, que possibilitou um enfoque melhor sobre os ciclistas suspeitos. Além disso, teve continuidade a observação direta das corridas pelos responsáveis pelos exames.   Bordry afirmou que eles passaram o mês de julho diante do televisor. Esse dispositivo permitiu a cassação do espanhol Manuel Beltrán e do italiano Riccardo Ricco.   A AFLD ainda não tem os resultados de todos os exames feitos durante a Volta nem os das contraprovas dos casos positivos.   O presidente da Agência lamentou que a UCI - excluída d Tour por conflitos com os organizadores - não tenha colaborado entregando os dados que recolheu nos últimos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.