África do Sul vende ingressos até em supermercado

ENVIADO ESPECIAL

Cristiano Dias, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

JOHANNESBURGO

A chiadeira dos sul-africanos e o medo de uma Copa do Mundo com estádios vazios fizeram a Fifa planejar uma liquidação de ingressos, que tem início hoje. Um lote de 500 mil entradas que não foram vendidas no exterior estarão disponíveis para o torcedor local em shoppings e balcões de supermercados nas nove cidades que receberão partidas. Até então, os bilhetes eram comercializados exclusivamente pela internet ou por meio de complicado cadastro de reserva.

A medida atenuou as críticas feitas pelos sul-africanos à organização da Copa. A maioria da população não tem cartão de crédito nem acesso à internet e está acostumada a pagar os ingressos em dinheiro. Segundo a Fifa, até agora foram vendidos 2,2 milhões de bilhetes, dos quais 925 mil foram comprados por sul-africanos. Os Estados Unidos, segundo país da lista, adquiriram 119 mil entradas.

Os ingressos mais baratos à venda são para os jogos da primeira fase. Custam US$ 20 (R$ 35,20), preço ainda alto para o padrão local. Para as oitavas de final, o sul-africano pagará US$ 50 (R$ 88,00). Para as quartas, US$ 75 (R$ 132,00) e semifinais, US$ 100,00 (R$ 176,00).

"A gente está acostumado a comprar ingresso nesse sistema tradicional"", afirmou o corretor de seguros Trevor Maleo, que se diz um pouco "mais animado"" com o Mundial depois das últimas concessões feitas pela Fifa.

Abertura. Ontem, o Comitê Organizador da Copa também anunciou a participação de mais artistas locais na festa de abertura. Muitos sul-africanos estavam incomodados com o protagonismo de Shakira, Alicia Keys e Black Eyed Peas, celebridades com pouco apelo no país.

Marthinus van Schalkwyk, ministro do Turismo da África do Sul, disse que a ideia é aproximar a Copa do povo. "Queremos dar oportunidade para que as pessoas vejam de perto os melhores jogadores do mundo"", disse o ministro, que não teme a perda de interesse dos sul-africanos caso os anfitriões sejam desclassificados na primeira fase. "Se os bafanas (a seleção da África do Sul) saírem, acho que a maioria torcerá pelo Brasil.""

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.