Agência antidoping pode dar mais poder à Europa

O novo chefe da Agência MundialAntiDoping concordou em considerar a possibilidade de dar maispoder à União Européia, afirmou o ministro do Esporte daEslovênia, Milan Zver, neste sábado. Zver, cujo país detém a presidência da União Européia,afirmou que o chefe da Agência Mundial AntiDoping, John Fahey,se comprometeu a "estudar seriamente" os planos de chacoalhar aentidade conforme planos do bloco de 27 membros discutidos nasexta-feira. "Fahey nos surpreendeu com sua idéia democrática. Elecertamente não disse 'não', o que ele poderia ter feito. Em vezdisso, concordou em considerar seriamente as propostas",afirmou Zver à Reuters, por telefone. Fahey assumiu no lugar de Dick Pound no primeiro dia desteano, mas sua eleição foi marcada pela abstenção dos governoseuropeus, cujo candidato, Jean-François Lamour, desistiu deconcorrer semanas antes. Alguns ministros da União Européia tentaram adiar a eleiçãoaté o último minuto, para tentar conseguir outro candidato. Mas Fahey foi eleito com o apoio do Comitê OlímpicoInternacional (COI), cuja influência na Agência AntiDoping aUnião Européia quer diminuir. "É sempre fácil dizer apenas que a reunião foi um sucesso,mas eu realmente acho que foi muito boa. O presidente ficoumuito impressionado e aberto ao debate e a nossas propostas",afirmou Zver. "É uma nova fase na história da agência para nós (UniãoEuropéia). Uma importante página foi virada depois do colapsoda eleição em Madri", disse ele, referindo-se à abstenção dosgovernos europeus na votação. A União Européia que "mais poder de seus investimentos",disse Zver. O bloco europeu contribui com quase metade do orçamento daAgência AntiDoping mas tem apenas um voto para seus cincoexecutivos na entidade, e detém menos de 30 por cento dos votosno conselho da fundação. O COI é o outro grande financiador da agência. "A Europa propõe a reconsideração da posição eresponsabilidade do continente na agência, de acordo com suacontribuição para ela", diz uma das propostas da União Européiaa qual a Reuters teve acesso. "A União Européia propõe a revisão do estatuto da AgênciaAntiDoping para esclarecer processos e procedimentos, bem comoas responsabilidades e papéis das entidades." Um dos principais pontos é a revisão dos processos deeleição na agência, favorecendo um sistema de rotação entre asregiões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.