Agora é São Caetano que perde patrocínio

Time, que ficou em 3º na Superliga, busca novo apoio para tentar manter as campeãs olímpicas Sheilla, Mari e Fofão

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 00h00

Vôlei

Depois de dois anos de apoio ao vôlei de São Caetano, veio a notícia: anteontem, a Blausiegel, empresa do ramo farmacêutico, informou que não mais patrocinaria a equipe do ABC. Assim, jogadoras como as campeãs olímpicas Sheilla, Mari e Fofão estão sem saber que time vão defender na próxima temporada.

"Entrei em férias com a expectativa de que as atividades continuariam, pois este era o clima que rondava a equipe", disse a Sheilla, eleita a melhor jogadora da Superliga. "Ontem (anteontem) à noite, recebi um e-mail com um comunicado oficial da empresa encerrando o patrocínio. Fomos pegas de surpresa."

A Blausiegel afirma que irá suspender temporariamente novos investimentos em ações de marketing esportivo ? a empresa continuará na Stock Car e na GT3 Brasil. Na nota enviada às jogadoras e à comissão técnica, o presidente Marcelo Hahn informou que a decisão está baseada em uma reestruturação corporativa. O conteúdo da decisão, porém, é conflitante com declarações de Hahn ao fim da Superliga. O empresário afirmava que não havia motivos para encerrar o patrocínio, embora o time não tivesse atingido seu principal objetivo, ou seja, o título nacional.

Agora, São Caetano busca um novo apoiador para continuar o projeto da equipe adulta. "É claro que queremos manter o time com o mesmo porte e já trabalhamos para isso. Mas, se não conseguirmos, faremos o trabalho de sempre, investindo nas categorias de base", afirma a supervisora Marina Silva.

O técnico Mauro Grasso não fica. Sua saída foi informada ao time na terça-feira ? hoje, ele assina contrato com o Pinheiros. O futuro das jogadoras permanece incerto. Leonardo Cunha, empresário de Sheilla e Mari, afirma que a maioria das atletas ainda analisa o mercado.

"Pouquíssimas firmaram contratos para a próxima temporada. Por isso, todas estão "desempregadas"." Ele confirma que Sheilla e Mari receberam sondagem da Unilever, de Bernardinho. "Estamos estudando propostas. Elas têm lugar em qualquer equipe do mundo." A partir de segunda, as duas estarão com a seleção, em Saquarema (RJ), treinando para o Grand Prix.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.