Reprodução
Reprodução

Brasileiro da MLB se diz 'agradecido' por evento com Dilma e Joe Biden

André Rienzo e Paulo Orlando almoçaram em Washington, terça

Rafael Pezzo, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2015 | 17h45

Um dia após almoçar com a presidente Dilma Rousseff e o vice dos Estados Unidos Joe Biden, o segundo brasileiro a atuar na MLB, André Rienzo, é só felicidade. Esperando um voo atrasado para seguir para seu próximo jogo, o arremessador destro contou de forma exclusiva ao Estado como foi o evento no Departamento de Estado americano, nesta terça-feira. 

Atualmente, Rienzo está em uma espécie de time B do Miami Marlins, o New Orleans Zephyrs. Em um primeiro momento, a diretoria não queria deixa-lo ir para o encontro. "Mas meu dia de jogar não era terça, não atrapalhou em nada. Ficou mais fácil a liberação, e eles gostaram também, uma chance legal."

 

Partimoss!!!!

Uma foto publicada por andrerienzo (@andrerienzo) em

Além de Rienzo, o jogador de campo externo do Kansas City Royals, Paulo Orlando também esteve no almoço. Assim como André, Paulo também não está com o elenco principal da sua franquia, e defende o Omaha Storm Chasers. Curiosamente, os amigos iriam se encontrar de qualquer maneira no dia 30, já que os Zephyrs e o Omaha se enfrentaram em Nova Orleans. 

"Nós nos conhecemos há muito tempo, temos um relação boa. Às vezes jogamos dando risada. Sempre legal ter um amigo 'adversário' brasileiro", revela Rienzo. 

Segundo o arremessador, ele e Orlando não tiveram contato direto com a presidente brasileira, e nem souberam sobre possíveis investimentos na modalidade no País. "Falamos com o vice-presidente dos Estados Unidos em uma sala com alguns fotógrafos. Foram poucas palavras e muitos cumprimentos."

O primeiro jogador nascido no Brasil a estrear na MLB, Yan Gomes, do Cleveland Indians, não pôde comparecer ao evento, já que tinha um jogo marcado para o mesmo dia, na Flórida. Em entrevista antes do início da atual temporada, Yan disse que "nós (três) não somos jogadores da MLB. Somos jogadores brasileiros da MLB." Sobre a declaração do companheiro, André afirmou que o sentimento é realmente esse: "temos muito orgulho de representar nosso País no melhor beisebol do mundo. Não foi fácil chegar e nem é fácil se manter, mas já posso contar as histórias que passei."


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.