Ainda sentindo dores, Guga está fora de Roland Garros

Gustavo Kuerten está fora de Roland Garros. Pela primeira vez, desde 1996, Guga vai deixar de disputar o torneio que transformou sua vida e mudou a história do tênis brasileiro. Sua recuperação, no Colorado, Estados Unidos, caminha em bases seguras, mas a passos muito lentos. Até o início do Aberto da França, em 28 de maio, não estará pronto para jogos em melhor-de-cinco sets. Estaria sujeito a passar vexame diante de rivais muito mais bem preparados. Com ranking acima de 300, Guga ficou fora da lista oficial dos jogadores que entraram direto na chave principal do torneio. Se quisesse, o tricampeão de Roland Garros poderia solicitar um wild card (convite) e, muito provavelmente, seria atendido, como chegou a acenar o árbitro-geral de Roland Garros, o sueco Stefan Frenson. Na condição de convidado, Kuerten iria para sorteio e poderia cair numa primeira rodada diante de, por exemplo, Roger Federer ou Rafael Nadal. Há mais de um mês no Colorado, na clínica do cirurgião Marc Philippon, responsável por sua segunda operação no quadril, realizada em 21 de setembro de 2004, Guga está afastado do circuito profissional. A única ligação com o mundo do tênis é seu técnico, o argentino Hernán Gumy, que acompanha de perto cada passo do pupilo. Durante este período, Guga deu poucas notícias, o que provocou um leque de especulações. Houve comentários até de uma terceira cirurgia, não confirmada pela equipe do tenista nem pela clínica de Philippon. O tratamento de recuperação vem sendo monitorado pelo médico e os exercícios são realizados na própria clínica, em equipamentos de última geração. Planos Disposto a não comprometer sua recuperação para jogar Roland Garros, Guga já havia afirmado que não forçaria uma vota a Paris caso não se sentisse completamente recuperado e em condições de jogo. Além de estar com o físico em ordem, o tenista, antes de se aventurar num torneio do Grand Slam, precisaria testar seu jogo em outras competições. E Guga não está negociando wild cards para nenhum torneio da atual temporada européia de saibro, como Estoril, Munique e os Masters Series de Roma e Hamburgo. Apesar do longo tempo afastado das competições, Guga não pensa em aposentadoria - não passaria por tantos sacrifícios só para depois pendurar a raquete. A volta ao circuito deverá ocorrer no ATP Tour de Stuttgart, em 17 de julho, na Alemanha. Depois, continuaria no saibro europeu, jogando em Kitzbuehel, na Áustria, ou Umag, na Croácia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.