Alckmin vai cobrar Ricardo Teixeira

São Paulo perdeu a Copa das Confederações, mas não vai ficar calado. O governador Geraldo Alckmin sente-se traído por Ricardo Teixeira e pretende cobrar o presidente da CBF tão logo ele retorne do exterior. O cartola lhe disse, em reunião há cerca de dois meses, que não se preocupasse, pois o fato de a arena em Itaquera não ficar pronta até meados de 2013 não excluiria a capital paulista da Copa das Confederações.

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2011 | 00h00

A reunião teve a presença de outros membros do Comitê Local da Copa e de integrantes do comitê paulista. Foi diante dessa garantia que São Paulo passou a trabalhar com a hipótese de utilizar a futura Arena Palestra (Alckmin conversara sobre isso com o presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, no mês de janeiro), Pacaembu ou até mesmo Morumbi.

Utilizar um desses estádios era hipótese que a Fifa sempre descartou. Mas Alckmin confiou na palavra de Teixeira. Afinal, um evento-teste também serve para verificar itens como mobilidade urbana, segurança, eficiência hoteleira...

O primeiro sinal de que São Paulo seria limada da Copa das Confederações foi dado há um mês, pelo ministro do Esporte, Orlando Silva. Ele disse com todas as letras não ter cabimento fazer a competição num estádio e o Mundial em outro. Ontem, veio a confirmação.

Alckmin vai querer saber de Teixeira o motivo da mudança de posição. E deixar claro que não admite outro desaforo, o de São Paulo ser preterida e não receber a abertura da Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.