Reprodução
Reprodução

Algoz de Filipinho, Michel Bourez fatura etapa de Pipeline no Circuito Mundial

Na final o surfista superou Kanoa Igarashi por 7,53 a 6,17

O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2016 | 09h00

Algoz de Filipe Toledo na quinta fase, o polinésio Michel Bourez surpreendeu na madrugada desta terça-feira e faturou o troféu da tradicional etapa de Pipeline do Circuito Mundial de Surfe. Bourez, que até corria o risco de ser rebaixado para a divisão de acesso da competição, chegou a eliminar o campeão John John Florence até chegar à final, quando superou o norte-americano Kanoa Igarashi por 7,53 a 6,17.

Brasileiro que foi mais longe na disputa da etapa havaiana, Filipinho foi eliminado pelo próprio Bourez na quinta fase, que antecede as quartas de final, por 16,80 a 15,50. A maior parte dos brasileiros saíram da disputa na terceira fase, ainda no domingo. Foi o caso dos campeões mundiais Gabriel Medina e Adriano de Souza, o Mineirinho. Medina, por sinal, brigava para realizar o sonho de vencer em Pipeline pela primeira vez.

Depois de despachar Filipinho, que chegou a brigar pelo título na temporada passada, Bourez venceu ninguém menos que o local John John Florence. O surfista havaiano se sagrou campeão mundial pela primeira vez, por antecipação, na etapa passada. Mas, em Pipeline, se despediu nas quartas, ao ser batido pelo rival polinésio por 17,20 a 14,00.

Na semifinal, seu adversário foi o norte-americano Kolohe Andino, a quem venceu por 15,37 a 13,93. Na outra semifinal, Kanoa Igarashi levou a melhor no duelo de americanos contra a lenda Kelly Slater, por 15,50 a 15,00. E, na improvável decisão, Bourez chegou ao título com uma vitória apertada.

O triunfo veio em boa hora para o surfista da Polinésia. Ao vencer a última etapa do ano, ele escapou do rebaixamento e terminou a temporada na sexta colocação geral. Gabriel Medina, o melhor brasileiro no campeonato, ficou em terceiro lugar, após chegar à etapa na vice-liderança.

Ele foi superado pelo sul-africano Jordy Smith, que parou somente nas quartas de final em Pipeline. Entre outros surfistas do Brasil, Filipinho terminou em 10º geral, seguido por Mineirinho, atual campeão, em 11º.

Se não teve nenhum representante na briga pelo título da etapa de Pipeline, o Brasil pode comemorar ao menos a garantir de mais um surfista na divisão de elite na próxima temporada. Ao terminar a etapa em 13º lugar, Miguel Pupo se garantiu entre os 22 primeiros do ranking, assegurando a presença no campeonato de 2017.

Assim, o Brasil terá ao menos nove surfistas na elite no próximo ano: Gabriel Medina, Filipe Toledo, Adriano Souza, Ítalo Ferreira, Caio Ibelli, Wiggolly Dantas, Miguel Pupo, Jadson André e Ian Gouveia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.