Algozes em 66, Eusébio e Simões veem equilíbrio

Ídolos do passado falam sobre triunfo lusitano em 1966 e apostam em um duelo sem favoritismo, amanhã, em Durban

, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2010 | 00h00

MAGALIESBURG

Portugal levou a melhor sobre o Brasil na única vez em que se encontraram numa Copa do Mundo. Em 1966, na Inglaterra, os europeus venceram por 3 a 1 e mandaram os então bicampeões de volta para casa. Ontem, dois protagonistas daquela vitória portuguesa, os atacantes Eusébio e Simões, relembraram detalhes da partida disputada em Liverpool.

Eusébio, que atualmente atua como embaixador da seleção portuguesa, fez dois gols no duelo de 66 e disse que o resultado foi consequência do momento das duas seleções. "Portugal montou um dos melhores times da história e o Brasil não estava bem. Até o próprio rei dos brasileiros, o meu amigo Pelé, não estava bem, tinha uma lesão."

O ex-centroavante considera que em 1966 Portugal tinha uma equipe mais forte do que a seleção brasileira, mas não arrisca dizer que o mesmo ocorre com os times atuais. "Não digo que Portugal é mais forte, pois o Brasil é uma potência, com bons e inteligentes jogadores. Não há comparação entre as equipes, mas dentro do campo sempre podem acontecer coisas inesperadas."

Eusébio marcou o segundo e o terceiro gols de Portugal contra os brasileiros em 66. Mas foi Simões quem abriu o caminho para a vitória, com um de cabeça, aos 15 minutos do primeiro tempo. Atualmente técnico da seleção sub-23, ele não se esquece do gol que fez em Manga. "Comecei a jogada e depois terminei, marcando de cabeça. Pela minha altura, não era normal fazer gols assim, mas o Eusébio cruzou a bola muito baixa. Aquele lance mostrou que eu era um jogador bastante atento." Para o ex-atacante, a partida de amanhã em nada deve lembrar a de 1966. /A.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.