''Alguém vai sifu quando eu voltar'', diz Ronaldo

Atacante do Corinthians imita o presidente Lula ao falar de seu esforço para retornar aos gramados e diz estar confiante em fazer bom papel

Giuliander Carpes, ITU, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2009 | 00h00

Mais de duas horas fazendo trabalho na areia, sob o sol escaldante. Essa foi a tarefa do maior artilheiro da história das Copas do Mundo, Ronaldo, ontem, na pré-temporada do Corinthians, em Itu. Trabalho árduo, recompensa adiante. É isso o que o centroavante espera. "Como disse o presidente Lula, alguém ?vai sifu? quando eu voltar", afirmou. "Alguém vai ter de pagar todo esse sacrifício que estou fazendo aqui." Apesar do otimismo, o atacante ainda não sabe quando poderá estrear. "Não vai ser este mês", despistou. "Talvez não seja nem no próximo. Minha intenção e a coisa mais inteligente que posso fazer é só estrear quando estiver 100%. Não posso correr nenhum risco." O risco a que o astro se refere é manchar a sua reputação depois de fracassos e escândalos recentes. O ídolo não quer se arriscar a ter desempenho abaixo do esperado como o da Copa de 2006, pela seleção, e no Milan, em 2007. "Se quando eu cheguei em último na corrida no primeiro treino aqui já falaram muito, imagina se eu entrar em campo sem condições." Ontem, ele completou 11 dias de treinos. O esforço tem chamado a atenção dos companheiros, que chegam a se perguntar o porquê de um astro, aos 32 anos, precisar se submeter a tamanhas dificuldades. "Minha motivação é jogar. E é muita", disse. "Meu amor pelo futebol é muito grande. Quando estou em campo sou o cara mais feliz do mundo. Se for para ser exemplo, quero ser sem deixar de ser eu mesmo. Esse sacrifício é o que eu preciso para voltar."Segundo o jogador, o trabalho já vem dando bons resultados. De acordo com informações da comissão técnica, o atleta perdeu cinco quilos. Está com 95 e ainda precisa queimar pelo menos outros cinco. "Estou seguindo a programação. A evolução a gente está vendo a cada dez dias e estou bem", assegurou Ronaldo. Se o esforço é árduo, também sobra tempo para alguma diversão. Depois do treino e de atender a imprensa, Ronaldo jogou golfe na companhia do diretor-técnico Antônio Carlos. O atacante assistirá, no sábado, no Pacaembu, ao amistoso do Corinthians com o Estudiantes, da Argentina. A contratação do ala Escudero se complicou e ele deve ir para o River Plate. Já a vinda do atacante Kléber ganhou força com a viagem do presidente Andrés Sanchez à Ucrânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.