Alison e Bruno Schmidt levam mais um título e Ágatha e Bárbara são vice no Japão

Embalados pelo título mundial e pela conquista do Major de Gstaad, os brasileiros Alison e Bruno Schmidt voltaram a ser campeões neste domingo ao vencerem o Grand Slam de Yokohama, uma das etapas do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Já pela chave feminina, Ágatha e Bárbara Seixas foram batidas na decisão e ficaram com a medalha de prata.

Estadão Conteúdo

26 de julho de 2015 | 09h29

Na final do torneio masculino, Alison e Bruno Schmidt derrotaram os canadenses Chaim Schalk e Ben Saxton por 2 sets a 0, com um duplo 21/15. Antes, pela semifinais, os brasileiros superaram os austríacos Clemens Doppler e Alexander Horst por 2 sets a 0, com parciais de 21/14 e 21/18. Posteriormente, os austríacos levaram a medalha de bronze ao baterem os russos Konstantin Semenov e Viacheslav Krasilnikov (21/17 e 21/16).

"Este foi um dos torneios mais duros que já disputei. Além das dificuldades dentro de quadra, comemorei muito o título por termos conseguido vencer a insônia, este fuso horário que dificulta e o forte calor que fez durante toda a competição", analisou Bruno.

Com a conquista, Alison e Bruno Schmidt assumiram a liderança do Circuito Mundial. Além disso, aumentaram a disputa pela ponta da corrida olímpica brasileira. Pedro Solberg e Evandro seguem em primeiro lugar, com 3.200 pontos, mas agora com apenas 80 de vantagem para os campeões mundiais. Ricardo e Emanuel ocupam o terceiro lugar com 2.400 pontos.

A corrida olímpica brasileira dará uma vaga por gênero nos Jogos de 2016 e conta pontos em nove eventos da temporada 2015 do Circuito Mundial de Vôlei de Praia, sendo cinco Grand Slams, três Majors e o Open do Rio de Janeiro. As duplas vão descartar os dois piores resultados ao longo da temporada. Yokohama foi a sexta etapa que contou pontos para a corrida

CHAVE FEMININA - Já no torneio feminino em Yokohama, Ágatha e Bárbara Seixas perderam a final para as alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst por 2 sets a 0, com parciais de 21/14 e 21/17, e tiveram que se contentar com o vice-campeonato.

"Para ser bem sincera pensei em nem entrar para a partida. Durante todo o torneio estava bastante cansada, com um nível de desgaste alto. Por entrar para a final exausta, até posso dizer que para nós a prata teve gosto de ouro" afirmou Agatha.

Pelas semifinais, as brasileiras, líderes do Circuito Mundial, bateram as canadenses Bansley e Pavan por 2 a 1, com parciais de 25/23, 19/21 e 15/12. Já na disputa do terceiro lugar, a dupla canadense superou as norte-americanas Ross e Fopma (15/21, 22/20 e 15/9).

A medalha de prata levou Ágatha e Bárbara a abrirem vantagem na corrida olímpica. Elas somam 3.560 pontos, à frente da Larissa e Talita, com 3.240, e de Juliana e Maria Elisa, com 2.960.

Após a disputa em Yokohama, o Circuito Mundial sofre uma pausa e só terá a sua próxima etapa disputada entre os dias 18 e 23 de agosto, com o Grand Slam de Long Beach, nos Estados Unidos, que também conta pontos para a corrida olímpica brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.