Aliviada após índice, Etiene revela 'relação de amor' com nado costas

Etiene Medeiros colocou seu nome na história da natação brasileira com seus resultados internacionais nos 50m costas. Mas, como essa distância não consta no programa olímpico, a pernambucana passou a se dedicar a outras disputas, especialmente os 100m costas. Na primeira seletiva nacional, ela não conseguiu índice olímpico para a prova, apenas para os 50m e 100m livre. Neste sábado, a qualificação finalmente veio, nas eliminatórias do Troféu Maria Lenk.

Agência Estado, Estadão Conteúdo

16 de abril de 2016 | 13h13

"Aliviada é a palavra. Mais uma vez a natação surpreende qualquer um. Estava na busca desse índice e acho que foi o mais difícil que eu fiz. De condições mesmo, mental e física, e acabou gerando uma pressão para mim. Tinha que fazer, mas não estava saindo. Não foi o tempo que eu queria, mas ainda tem a tarde. Ter visto 1min00s00 foi muito bom, mas sei que minha natação precisa ser um pouco melhor para chegar em agosto bem", comentou a brasileira, agora 18.ª do ranking mundial.

Pelos resultados das seletivas até aqui, Etiene teria mais chance de um bom resultado na Olimpíada nas provas de nado livre do que nos 100m costas. Mas não há como negar que o coração fala mais alto.

"Relação de amor é isso, às vezes a gente está bem, às vezes não, mas a gente insiste e sempre quer o melhor dele e minha relação com o nado costas é bem isto, uma relação de amor. Graças a Deus eu estou lidando muito bem com ele. Mas quando a gente tem amor por uma prova, precisa lapidar, saber os segredos, dela e eu estou nessa fase", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.