Alex Silva/AE
Alex Silva/AE

Alívio no São Paulo: Lucas volta para encarar Atlético-MG

Com a presença do meia, equipe do Morumbi conquistou 72,5% dos pontos disputados; sem ele, média cai para 43,5%

FERNANDO FARO, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2012 | 03h02

Lucas voltou da Olimpíada e o São Paulo ganhou quatro dos seus cinco jogos, marcou 11 gols e sofreu apenas dois. Sem o camisa 7 nos últimos dois jogos, os resultados foram bem mais modestos; dois empates, um gol marcado, um time sem inspiração e incapaz de derrotar dois adversários mutilados por desfalques (Inter e Santos). Os números e a maneira de a equipe jogar não deixam dúvida: o São Paulo depende de seu craque para sonhar com o G-4.

Para alívio da torcida e de Ney Franco, o jogador estará de volta contra o Atlético-MG com a missão de devolver ao time a consistência que o mantém a apenas três pontos da zona de classificação da Libertadores mesmo com tanto altos e baixos. Os próprios companheiros não escondem o alívio ao falar do retorno do meia após duas exibições abaixo da crítica. "Não é à toa que ele foi vendido por esses valores. É um jogador que vai estar sempre no grupo da seleção e por isso não poderemos contar com ele sempre. É um jogador muito importante e tenho certeza que ele vai para Belo Horizonte querendo jogar", afirmou o volante Casemiro.

A importância de Lucas é percebida ao longo de toda a temporada. Mesmo com as frequentes convocações para a seleção, ele é o terceiro na lista de artilheiros da equipe na temporada, com 11 gols, e, com nove assistências, perde apenas para Jadson entre os melhores passadores. A diferença do aproveitamento da equipe com e sem o jogador é abissal. O Tricolor conquistou 72,5% dos pontos quando pôde contar com ele; número que despenca para 43,5% sem a sua presença.

Ney Franco já deu oportunidades a Ademilson e agora testa Osvaldo como companheiro de ataque de Luis Fabiano. Embora ambos tenham tido seus bons momentos, não foram capazes de resolver os problemas de criatividade da equipe. Após o empate contra o Inter no Morumbi, Luis Fabiano não aguentou as inúmeras bolas alçadas na área e disse que estava faltando qualidade para definir as partidas.

Apesar das dificuldades, o elenco descarta que seja dependente do meia, vendido ao Paris Saint-Germain por R$108 milhões. "Dependente, não, porque temos jogadores que o substituem muito bem. Mas com certeza ele é um dos melhores jogadores do nosso time e se eu não falasse isso estaria mentindo", emendou Casemiro.

Problemas à vista. Se por um lado ganhará o retorno de Lucas, Ney Franco deve ter outros problemas para armar a equipe para enfrentar o Atlético-MG. Duas baixas devem acontecer por problemas físicos. Luis Fabiano está com um trauma no ombro esquerdo, sentiu muitas dores e deve ser reavaliado hoje. Os médicos, no entanto, estão pessimistas sobre a possibilidade de utilizá-lo. Outro que pode não ser aproveitado é Rhodolfo, substituído contra o Santos após sentir fadiga na coxa esquerda. Como o exame não apontou nenhuma lesão, suas chances de jogar são maiores.

Um desfalque sabido é o volante Denilson, que cumprirá suspensão após ser expulso contra o Santos no domingo. Casemiro deve ficar com a posição caso o treinador mantenha o esquema com dois zagueiros. Caso contrário, concorre com Maicon, que retorna à equipe após cumprir suspensão no fim de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.