Tania Moura/CBAt
Tania Moura/CBAt

Almir Junior vence no salto triplo em Guadalupe com 3ª melhor marca do mundo

Brasileiro quebra seu próprio recorde com marca de 17,53m

Estadão Conteúdo

13 Maio 2018 | 16h18

O brasileiro Almir Cunha dos Santos conquistou medalha de ouro no salto triplo do Meeting de Guadalupe, na noite deste sábado. A marca de 17,53m é recorde na carreira do atleta que, de quebra, alcança o terceiro lugar no ranking mundial da modalidade.

+ Thiago André fica em sétimo nos 1500 metros em etapa chinesa da Diamond League

Almir fica atrás apenas do cubano naturalizado português Pedro Pichardo, que tem 17,95m, e do norte-americano Christian Taylor, com 17,81m.

A distância estabelecida pelo jovem atleta mato-grossense, de 24 anos, o coloca ainda como terceiro melhor triplista da história do atletismo nacional. Os dois melhores são Jadel Gregório, que tem 17,90m, e João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, com 17,89m.

É a primeira vez que Almir Junior, como é conhecido no meio esportivo, supera os 17 metros ao ar livre. O saltador vinha se destacando nas competições em locais fechados. Em março, no Mundial Indoor de Birmingham, na Grã-Bretanha, levou a medalha de prata, com 17,41m, a apenas dois centímetros do campeão Will Claye, dos Estados Unidos.

Almir Junior já era líder do ranking brasileiro da temporada, com 16,96m, marca alcançada em Porto Alegre, a cidade onde mora e compete pela Sogipa. Seu treinador é José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca.

"Parabéns ao Almir por mais esta conquista para o Brasil", comemorou o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Warlindo Carneiro da Silva Filho. "O Almir é jovem e pode competir por muitos anos, em defesa de seu clube e da seleção brasileira", completou.

No Meeting de Guadalupe, o Brasil teve outros dois atletas no pódio, ambos do Pinheiros. Talles Frederico Sousa Silva foi o segundo colocado no salto em altura, com 2,22m, e Tiago Silva foi o terceiro no salto em distância, com 7,14m.

Mais conteúdo sobre:
atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.