Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Aluno da USP cria serviço de atendimento médico nas Olimpíadas

Consultas têm valor fixo de 99 dólares e médico vai até o local onde o turista está hospedado no Rio de Janeiro

Rene Moreira - Especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2016 | 14h20

Um aluno da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP), Raulo Ferraz, criou um startup no Rio de Janeiro que oferece aos turistas atendimento médico bilíngue onde o doente estiver hospedado, durante o período das Olimpíadas.

Segundo Ferraz, a ideia de oferecer esse serviço surgiu da necessidade dos intercambistas que vão a Ribeirão Preto (SP) para estudar. “Era comum ouvir reclamações dos intercambistas da USP (Universidade de São Paulo) que não possuíam convênio médico e tinham que recorrer ao sistema público de saúde, ou até mesmo a médicos particulares”, explica.

O serviço começou na cidade e está sendo ampliado para locais como Franca (SP), São José do Rio Preto (SP) e Uberlândia (MG), tendo chegado nessas Olimpiadas ao Rio de Janeiro, onde as consultas são agendadas através de um site. A plataforma já conta com cerca de 50 médicos cadastrados na cidade.

SISTEMA

Para ter acesso, o paciente agenda o nome, telefone e e-mail. Um consultor bilíngue entra então em contato para efetuar o agendamento. O pagamento é feito via PayPal e, em seguida, o médico vai até o local onde o turista está hospedado e realiza o atendimento. 

O mentor da ideia garante que "tudo isso ocorre em até quatro horas”. O custo do serviço, que hoje soma cerca de 800 atendimentos por mês nas cidades atendidas, é de 99 dólares.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Mande um WhatsApp para o número (11) 99371-2832 e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio 2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.