Ameaçado de multa, Robinho diz que é feliz no City

Jogador diz que está feliz em Manchester e que possui ótimo relacionamento com o técnico

AE-AP, Agencia Estado

22 de janeiro de 2009 | 11h52

Ameaçado de punição pelo Manchester City por ter deixado a concentração da equipe na Espanha sem avisar o técnico Mark Hughes, o atacante Robinho soltou uma nota oficial nesta quinta-feira para tentar acalmar os ânimos no clube, dizendo que está feliz na cidade e na equipe.Veja também:Técnico quer explicação de Robinho por viagem sem permissão Robinho voltará aos treinos do City no fim de semana Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão"Eu gosto de morar em Manchester e tenho muitos amigos no time e na cidade desde que eu cheguei, no ano passado. Admiro os fãs do Manchester City, que são verdadeiros amantes do futebol, e espero marcar o máximo de gols possível para ajudar o nosso time a subir a um nível mais alto", afirmou o jogador, que alegou problemas particulares e disse que já tinha combinado essa viagem anteriormente.Robinho disse ainda que não tentou questionar a autoridade do técnico Mark Hughes. "Eu tenho um bom relacionamento com o treinador Mark Hughes e sempre respeitei suas decisões. Ele é quem manda", afirmou o jogador, que prometeu retornar "nos próximos dias".O City aproveitou um período de folga no Campeonato Inglês para realizar uma pré-temporada nas Ilhas Canárias, na Espanha. Na segunda-feira, à noite, no entanto, Robinho deixou o hotel sem avisar ninguém. E, quando voltar, será recebido por Hughes para uma "conversa séria", como relatou o técnico ao site do clube nesta quinta."Ele saiu sem permissão, e não é a situação ideal, então quando ele chegar vou ouvir uma explicação mais detalhada, explicar a ele minha opinião, e então tomaremos a decisão adequada", afirmou o treinador. Hughes contou ainda que Robinho reiterou a ele que sua viagem não tem nada a ver com o fracasso na contratação de Kaká. "Ele me disse que já estava no avião quando o negócio com Kaká foi morto e enterrado. Quem tenta juntar uma coisa à outra está só tentando criar problemas", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.