Wang Zhao/AFP
Wang Zhao/AFP

Barreirista leva bronze no Mundial antes de receber novo rim

Aries Meritt possui rara doença e receberá órgão da irmã

Estadão Conteúdo

28 Agosto 2015 | 13h25

Terceiro colocado nos 110 metros com barreiras no Mundial de Atletismo, o norte-americano Aries Merritt terá uma agenda cheia nos próximos dias. No sábado, volta o Ninho do Pássaro, em Pequim, para receber sua medalha de bronze. Na terça-feira, vai receber um novo rim da sua irmã, em transplante programado para acontecer no Arizona, nos Estados Unidos.

"Dadas às circunstâncias, eu acho que foi minha melhor corrida no ano e eu cheguei à medalha, assim como eu queria. Isso significa para mim mais do que o ouro olímpico. O estado que eu estou, os treinos que eu fiz, foi muito difícil, muito duro. A luta é real", disse Aries Merritt, recordista mundial, após a prova desta sexta-feira em Pequim.

O barreirista tem uma rara doença genética que afeta os rins e foi descoberta em 2013. Na ocasião, ele disse que nunca mais voltaria a correr, mas não foi isso que aconteceu. "Quando os médicos me disseram que eu nunca mais correria, o mundo inteiro acabou na minha cabeça", contou Merritt.

Antes da final, ele havia dito que estava em Pequim por sua saúde mental, mais do que nada, e que a prova deste sexta-feira poderá ser a última da carreira. "Essa pode ser minha última competição se a cirurgia não der certo", disse, pensando também na opção oposta. "Nunca se sabe. Se eu me recuperar rápido, vocês vão me ver de volta logo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.