John Locker/AP
John Locker/AP

Americano Lawler mantém cinturão dos meio-médios do UFC

Foi o primeiro evento do UFC na temporada de 2016

Estadão Conteúdo

03 de janeiro de 2016 | 11h08

O ano de 2015 ficou marcado no UFC, a principal organização de artes marciais mistas (MMA, na sigla em inglês), pela queda de vários campeões, tanto que em apenas três das dez categorias (oito masculinas e duas femininas), os donos dos cinturões não foram modificados. Um deles foi o norte-americano Robbie Lawler, que conseguiu manter a condição de campeão entre os meio-médios no primeiro evento de 2016.

Na noite de sábado, em Las Vegas, na principal luta do UFC 195, Lawler defendeu com o êxito o seu cinturão ao derrotar o compatriota Carlos Condit em decisão dividida dos árbitros após cinco rounds de uma excelente luta. Dois árbitros apontaram que Lawler venceu três rounds (48 a 47) e somente um apontou o triunfo de Condit (também por 48 a 47).

Parte do público que acompanhou a luta vaiou o anúncio do resultado, que garantiu a Lawler a sua segunda defesa do título. De qualquer modo, todos vibraram com um combate franco, com muita troca de golpes e que estabeleceu um ponto de referência elevado para a melhor luta de 2016, mesmo no primeiro evento do ano.

Por isso, o próprio Lawler acredita que eles devem fazer uma revanche. "Condit é um lutador sensacional, e mostrou que teve um dos melhores treinos e seguiu sua estratégia, mas eu venci. Vamos, sim, fazer isso outra vez. É um lutador muito duro, técnico e está em excelente forma", disse o campeão.

Condit lamentou o resultado final, avaliando que merecia ter sido apontado como vencedor. "Foi muito disputada, sabia que tinha chances. Acredito que venci três rounds, mas faz parte quando você deixa nas mãos dos juízes", afirmou.

O UFC 195 contou com a participação de apenas um brasileiro. Em luta do peso pena, Diego Brandão perdeu para o norte-americano Brian City, que o finalizou com um triângulo no terceiro round.

Para 2016, o UFC já tem alguns eventos agendados que prometem agitar o mundo do MMA, como a defesa do cinturão dos pesados por Fabrício Werdum diante de Cain Velasquez, em 6 de fevereiro, e o retorno de Anderson Silva ao octógono, em 27 de fevereiro, contra Michael Bisping. O próximo evento será em 17 de janeiro, um UFC Fight Night, quando o norte-americano T.J. Dillashaw defenderá o seu cinturão do peso galo diante do compatriota Dominick Cruz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.