Americanos ensinam brasileiros a identificar materiais nucleares

1.De quem é a responsabilidade pela segurança nas arenas?

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2013 | 02h06

É do Comitê Organizador Local e da Fifa. O COL é o braço operacional da Fifa nessa questão.

2.A segurança será feita por agentes privados. E as forças públicas policiais?

Haverá policiais dentro dos estádios. As forças públicas de segurança podem adentrar em todas as situações, principalmente a PM, que trabalha em situações de tumulto. Os policiais vão fazer exclusivamente seu trabalho de polícia.

3.A presença da polícia vai ser diferente daquilo a que o brasileiro está acostumado...

Vai. Não teremos cachorros dentro dos estádios, por exemplo. Mas vale ressaltar que ação de polícia quem faz é o Estado.

4.Quem cuida da segurança nas fan fests?

A responsabilidade é exclusivamente das cidades-sede. O COL vai passar procedimentos operacionais, requisitos, mas a responsabilidade da contratação de agentes e execução dos trabalhos é das cidades.

5.E nos centros oficiais de treinamentos e nos hotéis?

A responsabilidade é do comitê, que contrata toda a segurança. E também todos os deslocamentos de delegações vão ser rastreados e monitorados pelo comitê.

6.Qual a próxima atividade do COL na área de segurança?

Bem, uma coisa que faremos em março é um workshop com todos os chefes de segurança das delegações das seleções que virão para a Copa das Confederações.

Durante dez dias, a partir de amanhã, 24 policiais federais e estaduais e servidores da Receita Federal e de outros órgãos irão fazer, em Brasília, um curso de Gerenciamento de Controle de Fronteiras. As instruções sobre o combate ao terrorismo serão dadas por representantes da embaixada dos Estados Unidos. A troca de experiência e o aprendizado de novas técnicas com especialistas estrangeiros faz parte do plano de segurança desenvolvido para a Copa do Mundo.

No curso, os brasileiros aprenderão a identificar explosivos, materiais químicos, biológicos, radioativos e nucleares.

Também amanhã, 360 agentes que ocuparão posições estratégicas na Copa do Mundo e, antes, na Copa das Confederações, farão um curso para coordenar, administrar e analisar cenários de segurança pública. Serão 12 turmas, com aulas no Rio e em Brasília. / A.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.