Amparado por liminar, Rodrigo salta em São Paulo

A edição deste ano do Athina Onassis Horse Show, a final do Global Champions Tour de Hipismo, promete muito agito dentro e fora das pistas. Depois de driblados os problemas causados pelo registro de um caso de mormo - doença que pode ser fatal em cavalos -, em Santo André, a boa notícia fica por conta da presença do campeão olímpico de 2004, o brasileiro Rodrigo Pessoa na competição. O cavaleiro, que está recorrendo da sentença de suspensão de quatro meses e meio por doping em seu cavalo durante a Olimpíada de Pequim, conseguiu uma liminar que permite sua inscrição na competição, cujo início é hoje, na Sociedade Hípica Paulista. A premiação é de 900 mil (R$ 2,740 milhões) na prova principal, marcada para sábado e com classificatórias na quinta-feira. A juíza Flávia Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível do Fórum Regional da Barra da Tijuca, no Rio, determinou que a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) inscreva o cavaleiro na final do Global Champions Tour. No entendimento da magistrada, Rodrigo Pessoa apresentou provas de que não houve doping do cavalo Rufus pelo uso de uma pomada que continha nonivamide nos Jogos de Pequim.No comunicado divulgado pelo tribunal, o ginete também alega como motivo para o pedido da liminar o fato de que, se não participasse da final do Global Champions Tour, teria de arcar com prejuízo de US$ 36 mil (R$ 75,7 mil) por quebra de contrato com vários patrocinadores. A CBH diz que encaminhou o caso à Federação Eqüestre Internacional (FEI), responsável pela punição de Rodrigo Pessoa, divulgada há duas semanas. Informou que cumprirá a decisão judicial e não pretende criar empecilho ao cavaleiro: só tentará caçar a liminar caso a entidade máxima do hipismo internacional solicite à sua filiada brasileira que o faça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.