AFP
AFP

Ana Cláudia sofre lesão, sai chorando dos 200m  e deve perder o Mundial

Brasileira sente contusão no músculo da coxa direita

Estadão Conteúdo

23 de julho de 2015 | 12h37

Principal nome das provas de velocidade do País na atualidade, Ana Cláudia Lemos está fora dos Jogos Pan-Americanos e também não deverá participar do Mundial de Atletismo, que acontece daqui a exato um mês, em Pequim (China). Ela sofreu uma lesão no músculo posterior da coxa direita nas eliminatórias dos 200m em Toronto, nesta quinta-feira.

"Sei eu o quanto treinei para chegar nessa competição. A gente selecionou as provas para se desgastar menos e chegar bem no Pan. Se tivesse tido algum sinal não teria entrado na prova. Estou saindo da competição sem ao menos ter melhorado a chance nos 200m", lamentou Ana Cláudia, chorando, em entrevista ao SporTV.

A brasileira competia no estádio da Universidade de York pelo terceiro dia seguido. Na terça-feira pela manhã, correu as eliminatórias do 100m. Na quarta à noite, semifinal e final. Ana Cláudia chegou a baixar os 11s nas eliminatórias, mas o recorde sul-americano não foi homologado porque o vento a favor estava acima do permitido. Na final, decepcionou e foi só a sétima colocada, com 11s15.

Mas ainda havia grande expectativa pelo que ela poderia fazer tanto nos 200m quanto no revezamento 4x100m. Na prova por equipes, será substituída por uma das duas atletas que foram a Toronto exatamente para serem reservas. Mas o time brasileiro sofre uma grande perda de qualidade, uma vez que Ana Cláudia fecha o revezamento e é pelo menos 0s5 mais rápida que as reservas.

Nos 200m, a melhor marca brasileira da temporada é de Rosângela Santos, que seria forte candidata ao ouro se tivesse sido inscrita no Pan. A carioca, entretanto, só correu os 200m pela primeira vez no ano após a tomada de índices. Por isso, a outra brasileira em Toronto é a menina Vitória Rosa, de apenas 19 anos, que avançou à semifinal com o quarto tempo da sua bateria.

Antes de Ana Cláudia, o Brasil havia perdido Joelma das Neves, também por lesão muscular, para o revezamento 4x400m. Já no time masculino de 4x100m, Codó foi liberado para voltar ao Brasil após queimar a largada na prova individual. O Brasil foi finalista do Mundial de Revezamentos em todas as quatro provas olímpicas e, por isso, forte candidato a ganhar medalha no Pan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.