Ana Moser, à procura de um caminho

A ex-jogadora Ana Moser se autodefiniu como uma universitária ? ?fazendo um estágio aqui, outro ali? à procura de um caminho e uma identidade profissional. Ana divide o seu tempo entre várias atividades diferentes e ainda não decidiu qual delas adotará com mais afinco, embora confesse sua paixão pela preparação física. Na noite de quinta-feira, na livraria Fnac, de Pinheiros, o seu livro ?Pelas Minhas Mãos?. A publicação, pronta desde 2000, não era o que consumia seu tempo atualmente. Voltando do primeiro trabalho como integrante da comissão técnica da seleção brasileira na Copa do Mundo do Japão não sabe ainda que fará.Além de auxiliar técnica na seleção, Ana Moser é a presidente do Instituto Esporte e Educação, coordenadora fora do Paraná do Centro Rexona-AdeS, estudante de Educação Física e diretora do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa do Ibirapuera.Aninha, como a chamam na seleção, fez um importante papel de ?intermediária entre a comissão técnica e o grupo de jogadoras?, segundo a atacante Virna, que esteve no lançamento do livro de Ana Moser, na quinta-feira à noite, em que também compareceram o campeão olímpico Joaquim Cruz, do atletismo, a campeã mundial Magic Paula, do basquete, e o secretário da Juventude, Esportes e Lazer de São Paulo, Lars Grael. Apesar disso, Ana não sabe se permanecerá na comissão técnica de José Roberto Guimarães. Tinha uma expectativa muito alta em relação ao envolvimento das jogadoras com o trabalho da seleção. ?Confesso que fiquei frustrada?, disse, após o segundo lugar na Copa do Mundo do Japão e a conquista da vaga para a Olimpíada de Atenas, em 2004.Ana acha que está mais seduzida pela preparação física. Adora acompanhar o trabalho do preparador José Elias de Proença, uma espécie de guru na área. ?Vou passar a dar mais aulas de pilates. Acho que a preparação corporal é o que mais me desafia.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.