Divulgação
Divulgação

Ana Moser luta por um legado da Copa do Mundo de 2014

Ex-jogadore é presidente da associação Atletas Pelo Brasil e diretora do Instituto Esporte e Educação

ALESSANDRO LUCHETTI, AMANDA ROMANELLI E PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

08 de setembro de 2013 | 08h05

SÃO PAULO - Ana Moser não para. Presidente da associação Atletas Pelo Brasil e diretora do Instituto Esporte e Educação, a ex-jogadora de vôlei estava em Natal, na sexta-feira passada, onde dava continuidade à perseguição de uma de suas metas: até 2016, pretende garantir que 100% das escolas públicas das cidades-sede da Copa do Mundo ofereçam esporte educacional.

As cidades-sede da Copa, de Brasília até o Sul, já têm um plano de ação para perseguir esse objetivo. Para alcançá-lo, Ana obtém compromissos assinados dos prefeitos.

A associação Atletas Pelo Brasil foi criada em 2006, e reúne nomes importantes do esporte brasileiro, como Raí, Magic Paula, Gustavo Borges e Lars Grael, entre muitos outros.

A entidade atua em diversas frentes. Na semana que vem, deverá ser votada pelo plenário da Câmara dos Deputados a Medida Provisória 620, que altera a Lei Pelé. A Atletas Pelo Brasil trabalhou com o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) no texto. A medida prevê a limitação do mandato de presidentes de confederações, que passariam a ter direito a apenas uma reeleição. Dessa forma, "reinados" de dirigentes como Coaracy Nunes (CBDA) e Carlos Arthur Nuzman acabariam. Além disso, segundo a proposta, clubes, federações e confederações teriam de oferecer maior grau de transparência para ter direito a recursos públicos.

A MP prevê inclusive a possibilidade de remuneração dos dirigentes, com o objetivo de profissionalizar o esporte. "Conseguimos avançar uma pauta que é histórica. O Estatuto do Esporte está há duas décadas no Congresso. Colocamos o esporte no debate", diz Ana Moser.

Hoje, grande parte dos esforços do Atletas pela Cidadania está voltada para a tentativa de garantir dividendos sociais com a realização de megaeventos esportivos no Brasil, como a Copa do Mundo e a Olimpíada. "Não queremos apenas montar a festa, receber os convidados e depois dar bye-bye. Estamos fazendo um trabalho de formiguinha, constante, para ampliar a prática do esporte, inserido como parte de uma política pública social. Isso vai acabar tendo um impacto no esporte competitivo", diz Ana Moser.

Em outra frente, a Atletas Pela Cidadania procura divulgar suas atividades junto à opinião pública. "Vocês (imprensa) falam muito mais sobre construção de estádios e acompanhamento de prazos de entrega do esporte do que das pautas de estruturação do esporte".

Tudo o que sabemos sobre:
Ana Moserespeciais da copa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.