Anabolizantes? Médicos descartam

Responsáveis pela cirurgia duvidam que Ronaldo tenha usado substâncias ilegais quando jogava na Holanda

Andrei Netto, O Estadao de S.Paulo

23 de fevereiro de 2008 | 00h00

O suposto uso de esteróides anabolizantes durante sua passagem pelo PSV, da Holanda, não é a causa das lesões que marcam a carreira de Ronaldo. A avaliação é dos médicos que reconstituíram os tendões patelares dos dois joelhos do atacante, em 2000 e há dez dias, em Paris. De acordo com o ortopedista Eric Rolland, a polêmica é falsa. "Foi o mesmo discurso há oito anos", lembrou. O especialista afirmou que Ronaldo sofreu uma lesão atípica no tendão patelar direito aos 23 anos, mas depois foi campeão da Copa do Mundo de 2002, torneio no qual foi submetido a controles de dopagem. "O problema de medicamentos hoje é um falso debate, porque, depois dos 30 anos, há muitos jogadores que têm problemas de tendão, com o acúmulo de jogos e o estresse de sua morfologia", explicou. "Há razões mecânicas para seu problema", afirmou, classificando de "suposição" a controvérsia sobre o suposto tratamento na Holanda. Yves Cattoné, chefe do serviço de cirurgia ortopédica e traumatologia do Esporte do Hospital Pitié Salpétrière, falou sobre a cirurgia e explicou que o pós-operatório foi bem-sucedido. "Ronaldo sai hoje com uma cicatriz correta. O controle mostrou que a sutura é de boa qualidade. Tudo passa bem. Mas ainda não acabou", comentou. Os médicos também expuseram o cronograma de recuperação de Ronaldo. De acordo com Rolland, a incerteza sobre seu retorno aos campos de futebol só será dirimida quando o treinamento de reeducação tiver início. A carga de esforço, explicou, será semelhante à realizada em 2000, mas sua idade atual e sua motivação são diferentes. "Ronaldo está mais perto do fim da carreira", ressaltou. O médico esclareceu, ainda, que o tratamento médico do artilheiro terá duração de seis meses. Ao longo do primeiro mês e meio, Ronaldo terá de usar muletas e proteção no joelho, já que nos três primeiros meses ainda haverá risco de novo rompimento do tendão operado. Com 90 dias, o objetivo é que Ronaldo consiga dobrar o joelho em 90 graus. Corridas não serão permitidas antes de quatro meses e meio ou cinco meses, de acordo com a evolução. "Um verdadeiro treino (de futebol) só será permitido a partir de nove meses", resumiu.A equipe agendará encontros periódicos com o atacante, após 45 dias, três meses e seis meses da cirurgia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.